Há 45 anos que o Saturday Night Live é transmitido em direto a partir dos estúdios da NBC em Nova Iorque. Mas, e como está a acontecer com muitos outros programas na televisão americana — em particular com os chamados “night shows”, com apresentadores como Jimmy Fallon ou Jimmy Kimmel — também o mais popular dos programas de sketches de humor alterou o formato em resposta à quarentena forçada pela pandemia de Covid-19. A estrutura foi adaptada, do arranque ao final, mas o monólogo de abertura apresentado por um convidado especial manteve-se e a primeira celebridade a fazê-lo nesta fase do programa foi Tom Hanks.

O ator americano — que há poucas semanas foi uma das primeiras celebridades a revelar que estava infetado com o novo coronavírus, quando estava na Austrália com a mulher, Rita Wilson, a propósito da produção de um novo filme de Baz Luhrmann — serviu de anfitrião para uma edição gravada do Saturday Night Live. E no arranque do episódios, fez as piadas possíveis, explicando-se: “É uma altura estranha para tentar ter piada”.

[a abertura do novo episódio de Saturday Night Live e o monólogo de Tom Hanks:]

Hanks esclareceu que tanto ele como Rita Wilson estão bem, “em casa, como todos devem estar, mas bem”. Aprendeu a ver a temperatura do corpo em graus celsius — “36 é bom, 38 é mau, um pouco como Hollywood faz em relação às mulheres” — e admitiu que nunca como hoje é tido como o verdadeiro “american dad”, uma espécie de pai de todos os americanos: “Ninguém que estar ao pé de mim e deixo toda a gente desconfortável”.

Entre os vários momentos sem humor que o programa apresentou — como já tinha acontecido em emissões que se seguiram a eventos como o 11 de setembro ou o massacre de Las Vegas — um dos mais destacados foi a homenagem que o elenco fez a Hal Willner, um dos produtores do SNL, responsável pelos sketches musicais, que morreu recentemente, vítima de complicações provocadas pela Covid-19, e a quem dedicaram uma interpretação de “Perfect Day”, de Lou Reed.

A equipa do SNL fez uso do Zoom, uma das aplicações de videochamadas em grupo mais usadas por estes dias. E o resultado foi um dos sketches do programa:

Também como é habitual, houve convidados especiais. Larry David, um dos criadores de “Seinfeld” e o autor e protagonista de “Curb Your Enthusiasm”, fez de Bernie Sanders, a mostrar de forma particular o seu apoio a Joe Biden; Alec Baldwin recriou mais uma vez o seu já célebre Donald Trump. E Chris Martin, vocalista dos Coldplay, apareceu para interpretar uma versão de “Shelter from the Storm” de Bob Dylan: