Portugal emite esta quarta-feira entre 1.000 milhões de euros e 1.500 milhões de euros em dois leilões de Bilhetes do Tesouro (BT) a três e a 11 meses.

As duas linhas de BT que serão esta quarta-feira leiloadas têm maturidade em 17 de julho (três meses) e em 19 de março de 2021 (11 meses).

Nos anteriores leilões comparáveis, em 19 de fevereiro, Portugal colocou 1.250 milhões de euros, montante máximo anunciado, em BT a três e a 11 meses, a taxas de juros mais negativas nos dois prazos.

Na altura, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) informou que a 11 meses foram colocados 950 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,484%, mais negativa do que a registada em 16 de outubro, quando foram colocados 900 milhões de euros a -0,450%.

A três meses foram colocados 300 milhões de euros em BT à taxa média de -0,500%, mais negativa do que a verificada em 16 de outubro, quando foram emitidos 350 milhões de euros a -0,475%.

A procura atingiu 1.398 milhões de euros para os BT a 11 meses, 1,47 vezes superior ao montante colocado, e 1.048 milhões de euros para os BT a três meses, 3,49 vezes o montante colocado.