Cerca de 300 covas foram escavadas no sábado numa grande vala comum num cemitério em São Paulo, no Brasil, no âmbito do plano de contingência da cidade para lidar com a pandemia da Covid-19. A empreitada contou com o trabalho de 13 retroescavadoras, de acordo com informações do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias (Sindsep) citadas pela imprensa brasileira.

A prefeitura de São Paulo decidiu contratar uma empreiteira privada para realizar as escavações da enorme vala, de acordo com a Folha de São Paulo. O sindicato dos trabalhadores diz que os funcionários dos serviços funerários da cidade — que não foram informados da obra —  habitualmente dispõem apenas de quatro retroescavadoras para trabalhar em todos os cemitérios da cidade.

Num comunicado de imprensa citado pelo portal G1, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, confirmou que a abertura das covas no cemitério de Vila Formosa integra um plano de contingência do serviço funerário da cidade, cujos detalhes serão revelados nos próximos dias.

“Vamos fazer tudo o que for possível para não termos em São Paulo as cenas lamentáveis que vimos pelo mundo. Do Equador a Nova Iorque, a questão do enterro dos mortos vítimas desta pandemia tem sido um desafio. Queremos estar preparados e organizados para minimizar a dor das famílias e garantir, dentro das limitações que o momento impõe, que as pessoas possam ter um sepultamento digno e organizado“, disse Bruno Covas.

Na semana passada, a autarquia daquela cidade brasileira criou mesmo um comité para gerir a implementação do plano de contingência do serviço funerário, com membros das várias secretarias municipais.

Os números mais recentes apontam para a existência de mais de 40 mil casos de Covid-19 no Brasil, país onde já morreram 2.588 pessoas vítimas da infeção. A resposta à pandemia naquele país não tem sido unânime, com o presidente Jair Bolsonaro a desacreditar as autoridades de saúde — tendo inclusivamente substituído o ministro da Saúde durante a crise — e apelando aos estados brasileiros que levantem as restrições ainda esta semana.