Foi com um vídeo partilhado no Facebook da editora Companhia das Letras que Chico Buarque deixou a sua mensagem aos portugueses neste 25 de Abril. Uma mensagem que ajuda assim a colmatar a ausência forçada do brasileiro em solo português nesta data especial. “Hoje, o Chico Buarque estaria aqui connosco, para celebrar este dia tão especial, e para receber o merecido Prémio Camões pela sua obra literária”, recorda a chancela responsável pela publicação da obra do também escritor em Portugal, autor de “Essa Gente”, o romance que se seguiu à atribuição do Prémio.

“Vai aqui a minha saudação aos amigos portugueses pelo 25 de Abril”, arranca Chico, que mantém uma longa e duradoura relação com a data e com o país. “Não descerei a Avenida convosco mas esta tarde deixarei na janela cravos vermelhos e cantarei alto e bom som ‘Grândola Vila Morena”. Num vídeo com menos de um minuto, Chico Buarque pede ainda aos portugueses que “guardem o pensamento para os seus irmãos brasileiros, que estão mais do que nunca necessitados de um cheirinho de alecrim”.

“Essa Gente”, de Chico Buarque. Um escritor escreve sobre outro escritor e desgraças acontecem

No final do ano passado foi conhecida a data escolhida para a atribuição do prémio a Chico Buarque, 25 de Abril de 2020, o mesmo dia em que se assinala a Revolução dos Cravos. Esta era já apontada anteriormente como uma data provável, dada a preferência do compositor. Recorde-se entretanto que em outubro do ano passado, cinco meses depois de ser conhecido o vencedor, o atual Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, deixou claro que poderia não assinar o diploma de atribuição do prémio. Citado pelo jornal Folha de São Paulo, avisou mesmo que não tinha essa assinatura entre as suas prioridades, atirando-a para o termo de um eventual segundo mandato, em 31 de dezembro de 2026: “Até 31 de dezembro de 2026, eu assino”.

Em resposta, Chico Buarque publicou na sua conta no Instagram: “A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo Prémio Camões”.

Face à pandemia, o Minisério da Cultura indicou que “a entrega do Prémio Camões será remarcada para data a definir”.