Portugal tem agora 29.432 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção-Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica desta terça-feira, 19 de maio. Houve um aumento de 223 casos, num acréscimo de 0,8%. Já o número de vítimas mortais subiu de 1.231 para 1.247, um aumento de 16 mortes que representa uma subida na ordem dos 1,3%.

Boletim DGS. Número de recuperados aumenta mais de 38%, 4.741 recuperados desde início do desconfinamento

Depois da explosão de casos recuperados desta segunda-feira, dia em que se verificam quase 1.800 novas recuperações, esta terça-feira regista-se apenas mais um caso recuperado. Já os casos de hospitalização cresceram pela primeira vez no período de uma semana, ainda que em apenas um caso, num total de 629. O boletim da DGS dá ainda conta do maior aumento diário de mortes acima dos 80 anos desde 29 de abril, já que 14 das novas 16 vítimas mortais pertenciam a esta faixa etária.

A análise do Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica em Portugal desta terça-feira, dia 19 de maio, pode ser feita através de vários pontos distintos, a saber:

Número total de casos, mortes e recuperados

O número de novos casos diários volta a subir ligeiramente face aos números da véspera. Os 223 casos confirmados de segunda para terça-feira representam uma subida percentual de 0,8% que é ligeiramente superior à de ontem (mais 173, mais o,6%) e que coloca o número total de infetados nos 29.432. Registaram-se mais 16 vítimas mortais, num total que é agora de 1.247 e que significa um aumento de 1,3% (maior do que os 1,1% do dia anterior). Já os casos recuperados, depois da explosão desta segunda-feira com quase 1.800 novas recuperações, subiram ligeiramente e registaram apenas mais um caso, num total de 6.431. A taxa de letalidade global está nos 4,24%, superior à de ontem (4,21%).

Caracterização dos óbitos

Desde o dia 29 de abril que não morriam tantas pessoas com mais de 80 anos num único dia. Dos 16 novos óbitos registados nas últimas 24 horas, 14 pertenciam a esta faixa etária (aumento de 1,7%, total de 838). As restantes mortes adicionais dividiram-se pelas faixas etárias dos 70 aos 79 anos (mais uma, total de 243, mais 0,4%) e dos 60 aos 69 anos (mais uma, total de 112, mais 0,9%). Do total, nove eram homens sete eram mulheres. Mantêm-se 14 vítimas mortais com menos de 50 anos: 13 na faixa etária entre os 40 e os 49 anos, sete homens e seis mulheres, e uma entre os 20 e os 29 anos, um homem.

Caracterização do número de casos por região

A região Norte registou a maioria das novas vítimas mortais, a região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a que mais cresce em novos casos. Das 16 mortes registadas nas últimas 24 horas, nove aconteceram no Norte (mais 1,3%, total de 707). Segue-se o Centro, com mais quatro mortes (mais 1,8%, total de 227), e Lisboa e Vale do Tejo, com mais três óbitos (mais 1%, total de 282). As regiões do Sul, do Alentejo e dos Açores não verificaram novas vítimas mortais e a Madeira continua sem qualquer óbito no território.

No que toca aos casos, os novos 223 contágios tiveram especial impacto na região de Lisboa de Vale do Tejo, onde existem agora mais 129 casos (mais 1,5%, total de 8.490). Segue-se o Norte, com mais 76 casos (mais 0,5%, total de 16.472), o Centro, com mais 16 (mais 0,4%, total de 3.644) e o Alentejo, com mais dois (mais 0,8%, total de 245). Sul, Açores e Madeira não registaram qualquer novo caso nas últimas 24 horas.

Número de países e casos importados

Os casos importados de outros países não registam esta terça-feira qualquer alteração. Segundo o relatório diário da DGS sobre a situação epidemiológica em Portugal, mantêm-se os 770 casos importados de 50 países diferentes. Espanha continua a ser o país de onde Portugal importou mais casos, 177, seguido de França, com 137, e Reino Unido, com 88.

Número de casos por grupo etário

103 dos 223 novos casos desta terça-feira têm entre 30 e 49 anos. De acordo com o boletim da DGS, 53 dos novos casos confirmados têm entre 40 e 49 anos (mais 1%, total de 4.960) e 50 estão na faixa etária entre os 30 e os 39 anos (mais 1,2%, total de 4.313). Destaca-se ainda um aumento de 39 casos entre os 20 e os 29 anos, numa subida percentual de 1% e um total de 3.666. São agora 4.369 os casos confirmados com mais de 80 anos (mais 18, mais 0,4%), cerca de 14,9% dos 29.432 globais. Os casos entre os 50 e os 59 anos são agora 4.942, algo como 16,8% do total. Existem 531 casos em crianças dos 0 aos 9 anos, mais três do que este domingo, e 929 dos 10 aos 19 anos, mais sete do que na véspera.

Número de casos internados e nos cuidados intensivos

Há uma semana que os casos internados não aumentavam. Esta terça-feira, regista-se mais um caso em cenário de hospitalização do que na véspera, num total de 629. O boletim da DGS dá ainda conta de menos quatro pessoas em Unidades de Cuidados Intensivos, uma quebra de 3,8% num total de 101 casos internados nestas unidades. Ao todo, os casos hospitalizados representam 2,5% do total e infetados no país.

Número de casos suspeitos, não confirmados, em vigilância e a aguardar resultados

Mais 89 casos, um aumento de 3,9%, a aguardar o resultado do teste à Covid-19. Registaram-se ainda subidas nos casos suspeitos e não confirmados: mais 3.052 casos suspeitos, uma subida de 1% num total de 298.501, e mais 2.740 casos não confirmados, uma subida de 1%. 25.487 pessoas estão ainda sob vigilância das autoridades de saúde, mais 127 do que esta segunda-feira.

Caracterização dos casos por género

Quase 3 mil mulheres infetadas acima dos 80 anos. Se os casos em idosos com mais de 80 anos representam quase 15% do número global em Portugal, a verdade é que existe uma disparidade em termos de género nessa faixa etária: 1.413 são homens, 2.956 são mulheres, cerca de 67,7% do total acima dos 80 anos. Essa mesma tendência de distribuição por género mantém-se nas restantes faixas etárias, com as mulheres infetadas a serem agora 17.228 em números totais (cerca de 58,6% do total de casos no país). Em comparação, existem 12.204 homens infetados. As faixas etárias mais afetadas, tal como acontece nos valores que englobam os dois géneros, encontram-se entre os 40 e os 59 anos, onde 5.915 mulheres estão infetadas.

Número de casos por concelho

Lisboa é o concelho com mais casos e também o que mais cresce: tem agora 2018, mais 56 do que o apresentado no boletim da véspera. Os concelhos da região de Lisboa e Vale do Tejo acompanham a capital nas subidas mais relevantes, já que Odivelas registou novos 20 casos, a Amadora tem mais 16 e Loures tem mais 14. Ainda assim, são dois concelhos do Norte que registam esta terça-feira as maiores subidas depois da capital — Vila Nova de Gaia tem mais 25 casos e Braga tem mais 19.

Caracterização dos casos confirmados por sintomas

Tosse e febre continuam a ser os principais sintomas. Os sintomas apresentados entre os casos de testes positivos (com informação respeitante a 90% desses casos) mantêm-se praticamente inalterados em relação aos últimos dias, com maior preponderância de tosse (41%) e febre (29%), seguidas de dores musculares (21%) e cefaleias (19%, menos 1%). Fraqueza generalizada (15%) e dificuldades respiratórias (12%) são os sintomas com menor taxa de incidência.