Coordenado pelo Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), este será o “primeiro rastreio a ser realizado em Portugal entre a comunidade académica de uma instituição de ensino superior”, avança a instituição académica, em comunicado.

“Realizados de forma totalmente voluntária e gratuita, os testes serológicos permitem detetar a presença de anticorpos das classes IgG e IgM para o vírus SARS-CoV-2 e, assim, avaliar se uma determinada pessoa teve contacto com a infeção COVID-19.”

Universidade do Porto disponibiliza testes serológicos a quem retormar atividades presenciais

O teste consiste na análise de uma gota de sangue, recolhida através de uma picada no dedo, que garante resultados após 10 minutos, período durante o qual será realizado um inquérito epidemiológico. Caso o teste indique a presença de anticorpos da classe IgM (indicando uma infeção recente), os membros da Universidade do Porto poderão ainda realizar, no próprio local, um teste de diagnóstico à Covid-19.

Esta quinta e sexta-feira, realizam-se os primeiros testes no edifício da Reitoria da Universidade do Porto, onde serão testados os colaboradores da instituição que se voluntariarem para participar no estudo, num universo total de mais de 4 mil pessoas. Numa segunda fase, o mesmo tipo de rastreio será disponibilizado aos mais de 30 mil estudantes da Universidade.