Os cientistas chineses que estão a testar uma possível vacina contra a Covid-19 estão confiantes de que esta seja 99% eficaz, avança a Sky News. Os testes da Sinovac, o nome da empresa biofarmacêutica responsável, encontram-se na fase 2 e envolvem mais de mil voluntários.

Em entrevista à Sky News, a empresa de biotecnologia chinesa, admite que na fase 3 os testes possam ser feitos na Europa, uma vez que os casos de infeção na China são neste momento residuais. A diretora da empresa, Helen Yang, diz mesmo que já contactaram vários países, entre eles o Reino Unido, que poderão participar nesta fase.

Os primeiros resultados desta investigação foram publicados há cerca de um mês na revista científica Science e mostram que a vacina foi eficaz nos macacos com infeção provocada pelo novo coronavírus.

Luo Baishan, um investigador da Sinovac garante que a vacina será eficaz “99%”. No entanto, ainda demorará algum tempo a chegar ao mercado, mesmo que o objetivo seja produzir mais de 100 milhões de doses da vacina.

Apesar de a investigação ainda estar em curso, para ganhar tempo a empresa está já a produzir a vacina, de nome CoronaVac. Na sede da empresa, em Pequim, há já caixas de cores laranja e branco com a vacina e a ideia é produzi-la massivamente. Ainda assim, mesmo que os ensaios clínicos sejam bem sucedidos, é precisa também a validação regulatória. Pelo que, a confirmar-se a eficácia, ainda demorará algum tempo a estar disponível ao consumidor final, que não será generalizado.

“A nossa recomendação é que não seja toda a população que tome a vacina”, disse Yang à Sky News. “Primeiro, grupos de alto risco como profissionais de saúde ou idosos, que podem ter um nível mais alto de mortalidade. Acho que esse será o ponto de partida”, acrescenta.

Esta semana, a Sinovac Biotech anunciou também ter recebido um investimento de 15 milhões da Advantech Capital e da Vivo Capital para acelerar a investigação.