Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Treze anos depois do desaparecimento de Madeleine McCann no Algarve, as autoridades de três países — Portugal, Reino Unido e Alemanha — fizeram um avanço significativo na investigação e identificaram um homem alemão de 43 anos como suspeito do rapto da criança britânica.

No centro da investigação estão agora duas pistas fundamentais: dois números de telemóvel portugueses, um deles alegadamente pertencente ao suspeito e o outro autor de um telefonema de meia-hora feito para o suspeito poucos minutos antes do desaparecimento de Maddie.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.