O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, insistiu esta segunda-feira na necessidade de fazer alterações legislativas “urgentes” que permitam fortalecer os poderes das forças de segurança no combate ao consumo e ao tráfico de droga na via pública.

As declarações do autarca surgem na sequência de uma megaoperação da PSP que decorreu esta manhã nos bairros da Pasteleira e de Pinheiro Torres e que culminou com três detenções, cerca de 30 identificações e 20 viaturas fiscalizadas, segundo o balanço divulgado pelo município, numa nota esta segunda-feira publicada na sua página oficial.

O presidente da Câmara do Porto, que acompanhou juntamente com a superintendente da PSP do Porto, comandante Paula Peneda, a megaoperação nestes dois bairros, partilhou ter estado à conversa com alguns moradores, que garantiram sentir-se mais seguros nestas ocasiões, tendo lamentado “que continue a haver muitas pessoas que se sentem sequestradas nos seus bairros”.

Para Rui Moreira, a situação resolver-se-ia com alterações legislativas que fortaleçam os poderes das forças de segurança no combate ao consumo e tráfico de droga na via pública.

“Tenho alertado para a necessidade de se fazerem alterações legislativas urgentes, para não acontecer aquilo que os moradores dizem: ‘A polícia vem cá, resolve o assunto, detém três pessoas e passado um tempo eles estão cá novamente a fazer as mesmas coisas’ e a criar intranquilidade”, alertou o independente.

Além disso, “é muito importante para as pessoas entenderem que este é um esforço conjunto, porque têm muita dificuldade em compreender que a responsabilidade nesta matéria não é das câmaras”, salientou ainda Moreira que acompanhou a operação da PSP a estes dois bairros.

Para o presidente da Câmara do Porto esta é uma operação “extraordinariamente importante”, por mostrar “a presença do Estado, da polícia e da segurança”, refere a nota.

De acordo com o município, nesta operação de visibilidade e prevenção criminal participaram dezenas de efetivos policiais, entre as equipas de trânsito da Polícia Municipal, que supervisionaram a circulação de viaturas nos bairros, além de várias valências da PSP, entre as quais o grupo operacional cinotécnico, uma unidade especial preparada e vocacionada para a intervenção de cães treinados, bem como o corpo de prevenção e o grupo de investigação criminal.

Em declarações à Lusa, fonte da PSP do Porto confirmou que foram detidas três pessoas, duas das quais por tráfico de droga e outra por falta de carta de condução.

Além das detenções, foram apreendidos diversos estupefacientes que “ainda não foram contabilizados”, identificadas “dezenas” de pessoas e fiscalizadas várias viaturas.