Era a data que faltava para fechar o calendário das competições portuguesas na atual temporada: a Federação Portuguesa de Futebol anunciou esta terça-feira que a final da Taça de Portugal, que deveria ter acontecido no Jamor no final de maio, está marcada para o dia 1 de agosto, um domingo. A Federação adiantou ainda que o local e a hora do jogo entre Benfica e FC Porto serão anunciados já na próxima semana.

Final da Taça de Portugal não vai ser no Jamor. Algarve e Aveiro são as soluções em cima da mesa

Assim sendo, encarnados e dragões vão disputar o último troféu nacional da temporada apenas dias depois da conclusão da Liga — ou seja, se a luta pelo título se prolongar até à última jornada, agendada para a última semana de julho, Benfica e FC Porto poderão discutir e decidir os dois principais títulos internos com menos de uma semana de diferença.

De recordar que já se sabia que a final da Taça de Portugal não poderia acontecer no Estádio do Jamor, por este não reunir todas as condições sanitárias e de higiene necessárias e obrigatórias. Excluído o Estádio Nacional, por não cumprir com as normas delineadas, as soluções que ganham mais força são o Estádio Algarve e o Estádio Municipal de Aveiro, dois dos estádios mais modernos do país, ambos construídos para o Euro 2004, pouco utilizados e normalmente palcos da Supertaça Cândido de Oliveira ou da final da Taça da Liga.

Eis o décimo clássico na decisão da Taça. “Para nós é especial estar na final da Taça. Para nós, FC Porto”, diz Sérgio

16 anos depois do triunfo do Benfica de José Antonio Camacho frente ao FC Porto campeão nacional e europeu de José Mourinho por 2-1, após prolongamento, a final da Taça de Portugal volta a receber o clássico. Um clássico que se repete pela décima ocasião. Um clássico que, à exceção da edição de 1959, terminou sempre com festa em tons de vermelho, entre margens mínimas (1-0 em 1959, 1980 e 1983, 2-1 em 2004), triunfos mais convincentes (3-1 em 1981 e 1985) e goleadas (5-0 em 1953 e 6-2 em 1964).