Duas cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos da América, analisaram a atividade cerebral de 43 indivíduos e concluíram que a solidão pode ter influência na forma como o cérebro representa os diferentes laços entre pessoas.

Para o estudo, “Self-other representation in the social brain reflects social connection”, publicado este mês na revista científica Journal of Neuroscience, Andrea L. Courtney e Meghan L. Meyer recorreram à ressonância magnética funcional, que usaram para analisar a atividade cerebral dos participantes enquanto pensavam si, nos amigos, em pessoas conhecidas e famosas, como Kim Kardashian ou Barack Obama.

Assim, foi possível observar que, quanto mais próxima era a relação do indivíduo com a pessoa em que estava a pensar, mais o padrão de atividade cerebral se assemelhava ao padrão de quando estava a pensar em si próprio. Estes dados foram, contudo, diferentes nos participantes mais solitários, explicou o Público. Comparativamente aos indivíduos que passavam menos tempos sozinhos, quando pensavam em si, estes mostravam padrões de atividade que eram mais distantes dos de quando pensavam noutras pessoas.

“Para as pessoas solitárias, os amigos chegados e os conhecidos suscitam padrões mais semelhantes, assim como os conhecidos e as celebridades”, disse ao Público Andrea L. Courtney, apontando que “as pessoas que representam uma grande distância entre si e os outros, como as pessoas mais solitárias, podem minar os seus esforços sociais, contactando com os outros com menos frequência”.

Isto pode ter efeitos negativos, já que “sentir-se próximo de outras pessoas promove o bem-estar” e “sentir-se desconectado delas pode comprometer a saúde mental e física”, refere o estudo.

Andrea L. Courtney garantiu ao Público que ainda existe muito para investigar nesta área, mas que a análise que realizou com Meghan L. Meyer parece indicar uma relação entre a representação cerebral da proximidade entre as pessoas, o facto de sentirem desligada dos outros e o seu investimento nas relações sociais e pessoais.