Pela primeira vez na história, a câmara baixa do Congresso dos Estados Unidos votou a favor de uma lei destinada a transformar o distrito federal de Columbia — DC, o território da capital do país, Washington — no 51.º estado dos EUA.

Numa votação ao início da tarde desta sexta-feira na Câmara dos Representantes, a lei foi aprovada com 232 votos a favor e 180 votos contra, com os votos distribuídos essencialmente de acordo com a representação partidária: o Partido Democrata a favor e o Partido Republicano contra.

Durante a votação, muitos congressistas democratas utilizaram máscaras com o número “51”, usado como símbolo de apoio à causa.

Praticamente desde a fundação do país, atualmente composto por 50 estados federados, que a capital norte-americana se situa num pequeno distrito federal, não pertencendo a nenhum dos estados, entre os estados de Virginia e Maryland.

O objetivo do sistema é manter a independência da capital federal face aos estados. Porém, os cerca de 700 mil habitantes da cidade acabam por não ter representação do Congresso norte-americano, uma vez que o distrito de Columbia apenas tem um representante sem direito de voto na Câmara dos Representantes — à semelhança dos outros territórios não incorporados dos EUA, como Porto Rico.

Para o Partido Democrata, a transformação de DC num estado de pleno direito é uma questão de igualdade entre os cidadãos norte-americanos, mas os republicanos recusam e argumentam que a cidade não tem as características para ser um estado à semelhança dos atuais 50 territórios federados.

Muriel Bowser, a atual presidente da câmara municipal de Washington, mostrou-se a favor da lei. De acordo com o The Washington Post, Bowser, cuja família está há cinco gerações naquela cidade, é uma das principais defensoras da lei, cuja proposta foi levada ao Congresso com o apoio de 227 congressistas.

“Eu nasci sem representação, mas juro que não vou morrer sem representação”, disse a autarca, citada por aquele jornal. “Juntos, vamos alcançar o estatuto de estado para DC, e quando o fizermos vamos olhar para este dia e lembrar-nos de todos os que estiveram connosco no lado certo da história.”

A Casa Branca já anunciou que se opõe à possibilidade de DC ser transformado num estado e o líder do Senado, o republicano Mitch McConnel, já anunciou que a proposta não vai subir à câmara alta do Congresso — o que significa que, por agora, a possibilidade de a lei ser aprovada cai por terra.

O próprio Presidente dos EUA, Donald Trump, já disse ser frontalmente contra a possibilidade. “DC nunca vai ser um estado”, disse Trump ao The New York Post. “Porquê? Para termos mais dois senadores e mais cinco congressistas democratas? Não, obrigado. Isso nunca vai acontecer.”

Como lembra a NPR, rádio pública norte-americana, Donald Trump já teve uma opinião diferente sobre o assunto. Em 2015, o então candidato Trump disse à NBC que faria “o que for melhor para o distrito de Columbia”. “Porque adoro as pessoas”, justificou.