Uma embarcação da ‘SOS Mediterranée’, com 180 migrantes resgatados no Mediterrâneo, aguarda há mais de uma semana por uma resposta da União Europeia ao pedido de autorização de desembarque na Europa, denunciou este sábado aquela organização não-governamental (ONG).

A ONG responsável pela embarcação ‘Ocean Viking’ decretou, na sexta-feira, o estado de emergência devido à angústia e tensão crescentes a bordo, onde se encontram, entre os migrantes resgatados, 25 menores de idade e uma mulher grávida à espera de autorização para atracar.

“O Ocean Viking declarou o estado de emergência há 18 horas. Pelas 02:30 informaram-nos que viria uma equipa médica a bordo. A guarda costeira italiana acordou connosco que esta operação seria mais segura durante a manhã. Não recebemos assistência até ao momento. A tensão cresce novamente a bordo”, lê-se nas páginas da ‘SOS Mediterranée’ nas redes sociais.

A embarcação ‘OCean Viking’ resgatou 180 pessoas em quatro operações no Mar Mediterrâneo, desde 25 de junho, uma em águas internacionais situadas entre Malta e Itália e as restantes três em águas territoriais de Malta.

A ONG já enviou, pelo menos, seis pedidos de desembarque a Itália e Malta, mas não obteve qualquer resposta e declarou, na sexta-feira, o estado de emergência a bordo depois do aumento da tensão no convés, com atos de violência física e ameaças entre os migrantes e também contra a tripulação.

Durante a espera, dois homens saltaram do barco e tiveram de ser resgatados do mar, enquanto outros três tentaram o mesmo, mas foram impedidos a tempo e, na sexta-feira, um outro migrante tentou enforcar-se.