Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Ministério da Educação enviou uma diretiva às escolas onde sugere que no próximo ano letivo as cantinas funcionem em regime de take-away, de maneira a garantir que não haja aglomerados nos espaços originalmente destinado às refeições nos estabelecimentos de ensino.

Em declarações ao Público, o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Filinto Lima, admite esta possibilidade. “Não me parece muito possível [continuar com as refeições normalmente], num espaço tão pequeno, tendo em conta o elevado número de alunos. Vamos ter de privilegiar o take-away“, disse àquele jornal.

De maneira a garantir que o consumo destas refeições não é feito todo no mesmo espaço, Filinto Lima refere ainda que devem ser utilizados outros espaços — “os polivalentes, recintos amplos”, enumera — para esse fim. “Mas vai depender de cada escola, da orientação. Poderá acontecer que, no caso do pré-escolar, as refeições possam ser tomadas nas próprias salas”, admitiu.

Diretores querem mais autonomia para gerir recuperação do 3.º período

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR