Rui Portugal será o próximo subdiretor-Geral da Saúde, tornando-se desta forma no número dois de Graça Freitas à frente da DGS. A notícia é do Expresso.

Até agora, Rui Portugal, que é médico especializado em Saúde Pública, tinha sido o coordenador do Gabinete Regional de Intervenção para a Supressão da Covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo. Foi nomeado para esse cargo a 10 de junho, estimando-se agora que não chegue a atingir a marca dos dois meses naquelas funções.

Em entrevista à TVI24 a 30 de junho, disse que “os testes não são a panaceia da cura da Covid-19 em Portugal ou no mundo”. “Os testes devem ser aplicados de uma forma correta em relação àquilo que são critérios de saúde pública quando estamos a tratar em termos de gestão da epidemia”, disse naquela entrevista. “A medida principal de saúde pública é aquela que sucessivamente vamos ouvido relativamente aos comportamentos individuais: o distanciamento físico.”

Em resposta às críticas feitas à lentidão de resposta da gestão da pandemia em Lisboa e Vale do Tejo, críticas essas às quais se juntou o preidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, Rui Portugal reconhece à altura que “a rapidez da intervenção é muito relevante”. “Se eu garantir que ganho dois ou três dias relativamente a uma situação que estava a correr num ou noutro local, eu ganho dois dias de menos transmissão da doença, menos cadeias de transmissão, menos casos”, sublinhou aquele médico.

A confirmar-se a notícia do Expresso, Rui Portugal sucede assim a Diogo Cruz como número dois da Direção-Geral da Saúde. Diogo Cruz, médico de Medicina Interna, foi nomeado para ser subdiretor-Geral de Saúde no início de abril, mas já desempenhava aquelas funções de forma interina desde os primeiros dias de março. A sua antecessora foi Catarina Sena, que morreu a 7 de abril, por motivos não relacionados com a Covid-19.