Um já tinha sido visto a chegar ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, depois de fazer um vídeo a agradecer ao Grémio antes de deixar Porto Alegre. Outro foi “apanhado” na tarde de ontem a fazer exames médicos em pleno Hospital da Luz. E ainda outro, que tinha motivado a viagem de Rui Costa e Tiago Pinto à Alemanha, tinha chegado de avião privado a Portugal horas depois de terem sido tornadas públicas imagens do pai com o empresário que intermediou o negócio, César Boaventura. Agora é oficial: o Benfica apresentou de uma assentada três reforços para a próxima temporada, anunciando as contratações de Vertonghen, Waldschmidt e Everton Cebolinha.

“Se tivesses oportunidade, o que perguntarias a Vertonghen, Everton e Waldschmidt?”, anunciou o Benfica através das suas redes sociais, antes de colocarem um outro tweet com “Soon” e as bandeiras da Bélgica, do Brasil e da Alemanha, os três países de origem dos reforços. Tudo foi preparado para puxar as atenções para o canal do clube, que teria na emissão a apresentação oficial no mesmo local e com os mesmos contornos de Jorge Jesus.

O central belga, que chegou à Luz a custo zero (mas com prémio de assinatura e um vencimento mais elevado do que é normal no clube) após oito anos no Tottenham, foi o primeiro a falar e a explicar o que o motivou a assinar pelas águias. “Vim para cá para ganhar troféus e quero muito atingir esses objetivos. Ser campeão é um desses objetivos, claro. Outro dos objetivos do clube passa por jogar na Liga dos Campeões e esperamos poder também cumprir essas metas”, começou por dizer o internacional de 33 anos, que como jogador perdeu em 2014 com o Tottenham: “Lembro-me mas não me quero recordar porque perdemos. Jogaram muito bem contra nós, é engraçado que agora esteja aqui e o próprio treinador também. Falei com os portugueses do Tottenham, com amigos meus portugueses, com o Axel [Witsel] que foi elogioso com as pessoas e com o clube e isso ajudou a vir”.

“Gosto de estabilidade, mostra como quero ser no futebol. A crença que tiveram em mim foi talvez das coisas mais importantes para assinar. Quero agora retribuir essa confiança com bons jogos e títulos. Não consigo esperar para ver o estádio cheio. Sei que agora é diferente mas espero que possamos jogar com pessoas o mais depressa possível”, acrescentou, também em resposta a questões que foram colocadas por adeptos encarnados através das redes sociais, antes de uma sessão de fotografias com Rui Costa e Luisão. Só depois chegaram os comunicados do Benfica à CMVM, sobre as contratações de Waldschmidt e Cebolinha (de Vertonghen não houve esse anúncio).

“A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que adquiriu a totalidade dos direitos do jogador Gian-Luca Waldschmidt pelo montante de € 15.000.000 (quinze milhões de euros) ao Sport-Club Freiburg E.V.. Mais se informa que o Freiburg terá ainda direito a receber 7,5% do valor de uma mais-valia obtida numa futura transferência do referido jogador. Por último, foi celebrado um contrato de trabalho desportivo com o referido jogador por 5 (cinco) épocas desportivas, ou seja, até 30 de junho de 2025, o qual inclui uma cláusula de rescisão no valor de € 88.000.000 (oitenta e oito milhões de euros)”, anunciou no primeiro comunicado.

“A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que adquiriu a totalidade dos direitos do jogador Everton Sousa Soares pelo montante de € 20.000.000 (vinte milhões de euros) ao Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Mais se informa que o Grêmio terá ainda direito a receber 20% do valor de uma mais-valia obtida numa futura transferência do referido jogador. Por último, foi celebrado um contrato de trabalho desportivo com o referido jogador por 5 (cinco) épocas desportivas, ou seja, até 30 de junho de 2025, o qual inclui uma cláusula de rescisão no valor de € 150.000.000 (cento e cinquenta milhões de euros)”, disse na missiva seguinte.

“Acho que o Weigl pode-me ajudar. Falei com ele e com o Seferovic. Ambos disseram muito bem do Benfica e da atmosfera. Acho que isso ajuda muito, ter alguém que fale alemão e me ajude a integrar. Acho que vai ser fácil a integração. Apresentaram-me algumas pessoas já e gostei. Acho que o Benfica é um grande clube, quer ganhar títulos e eu também. Quero ajudar e, como disse, é um grande passo para me ajudar a ser melhor jogador. Acho que encaixo bem no estilo de jogo. Temos também jogos internacionais e isso é importante. É a primeira vez que saio da Alemanha e estou muito entusiasmado. Sinto-me muito bem aqui. Fiquei com um bom sentimento e estou muito entusiasmado para os próximos anos”, disse depois Luca Waldschmidt na sua apresentação.

“A minha primeira memória sobre o Benfica é o Rui Costa. É um grande clube e todos conhecem. Os adeptos, a tradição é muito grande. O estádio e a águia também. Espero que as pessoas possam encher o estádio o mais rápido possível e vou ficar muito feliz por jogar no estádio da Luz. Nunca lá joguei e estou ansioso por isso”, acrescentou ainda o avançado germânico, que pretende aprender português o mais depressa possível para poder comunicar melhor com os companheiros numa apresentação onde a primeira coisa que disse foi… “Bom dia!”.

Em atualização