Fez toda a formação no Freamunde, estreou-se na Segunda Liga, fez uma curta passagem para Paços de Ferreira e apenas numa época chegou ao topo: ainda antes do Campeonato da Europa Sub-21 de 2007, na Holanda, onde era um dos elementos mais procurados pela imprensa estrangeira tendo em conta os rumores de que podia transferir-se nesse mesmo verão, Antunes foi chamada por Luiz Felipe Scolari a um particular da Seleção A no Kuwait, após um encontro de qualificação para o Campeonato da Europa de seniores na Bélgica. Com 20 anos, o esquerdino era uma promessa desejada por meio mundo e o Sporting não passava ao lado, até por ter vários representantes nessa equipa que era comandada por José Couceiro onde se encontravam também Nani, Moutinho, Veloso, Yannick Djaló, Silvestre Varela ou Semedo. Os leões não conseguiram. 13 anos depois, o jogador chega a Alvalade.

Numa altura em que a SAD do Sporting está em negociações avançadas ou a fechar quatro reforços para o setor defensivo, o lateral português de 33 anos é a primeira cara nova para o plantel de Rúben Amorim na temporada 2020/21, com o intuito de discutir a posição com o jovem Nuno Mendes, lançado no final desta época. E chega a custo zero depois de ter feito os últimos três anos na Liga espanhola, ao serviço do Getafe. Com isso, Acuña, um dos ativos que os leões planeiam vender por ser das principais mais valias, fica mais perto da saída.

Após ter sido transferido para a Roma nesse tal verão de 2007, com um acordo que previa inicialmente um empréstimo e depois a opção de compra para contornar a verba que estava a ser pedida pelo P. Ferreira (e que também abortou a possibilidade de rumar ao Sporting), Antunes participou em alguns encontros pelo conjunto da capital italiana nessa temporada de 2007/08, incluindo três na Liga dos Campeões onde fez a estreia frente ao Manchester United, sendo depois cedido de forma consecutiva a Lecce, Leixões, Livorno e Panionios antes de regressar à Capital do Móvel a custo zero, em 2012/13, na última época feita em Portugal até aqui. Voltou mas não durou: em janeiro de 2013, após a lesão de Nacho Monreal, foi cedido ao Málaga, que pagou depois para ficar com o seu passe e onde conseguiu ganhar lugar na equipa titular, tendo em 2013/14 uma das melhores épocas.

No início de 2015, no último dia da janela de transferências de inverno, Antunes passou pelo outro país onde jogou na carreira, a Ucrânia, tendo chegado ao Dínamo de Kiev a troco de seis milhões de euros. Foi lá que ganhou quase todos os títulos que hoje tem: dois Campeonatos, uma Taça e uma Supertaça, depois de já ter conquistado a Taça de Itália em 2007/08. Em 2017 foi cedido ao Getafe, onde ficou até à presente temporada já de forma permanente. Depois de duas épocas onde foi quase sempre titular e fez acima de 30 jogos, o lateral acabou por contrair uma lesão grave, tendo feito apenas três encontros em 2019/20, o último oficial a 11 de janeiro. Foi também por isso que, em Portugal a passar férias, o acordo alcançado estava dependente dos exames médicos.

Antunes assina por dois anos e sente-se “mais forte do que antes”

“É sensacional voltar a Portugal e fazê-lo para representar um clube como o Sporting. Jogar num grande do futebol português era um sonho de criança e realizo-o agora. Para mim é um voto de confiança enorme. Não podia perder esta oportunidade”, comentou Antunes, que assinou contrato por duas épocas, aos órgãos do clube, antes de dizer também que os largos anos no estrangeiro foram bons para “crescer e melhorar”. “Sinto-me mais forte do que antes. Tenho a certeza absoluta que vou corresponder. Promessas? Acima de tudo trabalho. Nunca fui tecnicamente muito vistoso mas não sou mau [risos] e sempre fui caracterizado pela garra e dedicação, assim como pela vontade de vencer”, acrescentou o internacional português que estava na Liga espanhola.

“Espero poder incutir isso neste grupo que merece ganhar todos os anos. É com essa vontade que venho e que vou entrar em todos os jogos. Quero ganhar títulos. O Neto é um grande amigo desde há muitos anos. Vai ser uma grande ajuda para me adaptar rapidamente. Com a ajuda dele e de outros jogadores, que já conheço de outras ligas, penso que o entrosamento com o grupo vai ser fácil. Sei que é um grupo muito humilde e é isso que precisamos: humildade e muito trabalho para conseguirmos coisas boas para este grande clube”, salientou ainda Antunes, que tem também tatuado no braço um leão que “significa força e garra”.

Porro emprestado por duas temporadas com opção de compra

Os leões não se ficaram por aí e anunciaram já mais um lateral para a próxima temporada: Pedro Porro, lateral direito de 20 anos do Manchester City formado no Girona e que esteve na última época cedido ao Valladolid, que irá ocupar uma vaga que deverá ficar em aberto com a saída de Ristovski, que está no mercado e poderá ser vendido caso surja uma proposta dentro dos valores balizados para SAD leonina. Tal como Antunes, o espanhol esteve em Alvalade nos últimos dias, fez exames médicos e conheceu a Academia, em Alcochete, enquanto ia resolvendo outras questões logísticas como a casa onde irá viver no período de empréstimo acordado. Depois de ter feito uma grande época no Girona em 2018/19 (34 jogos), Porro realizou 15 encontros no Valladolid.

“Estou muito feliz. O Sporting é um grande de Portugal e o projeto entusiasmou-me. É um grande passo na minha carreira. Venho para dar tudo de mim e fazer um grande Campeonato. Sou um tipo de jogador que gosta de trabalhar, de traçar objetivos e cumpri-los. Venho para dar o máximo e ajudar os meus companheiros de equipa e este grande clube. Espero dar muitas alegrias. Sei que os nossos adeptos vibram muito, por isso digo-lhes que estejam tranquilos: vou dar tudo por esta camisola. Espero que a pandemia os deixe regressar em breve ao estádio porque serão uma grande ajuda para nós”, comentou aos órgãos oficiais do clube verde e branco o lateral que vai estar dois anos cedido pelo Manchester City ficando o Sporting com opção de compra.

Pedro Porro falou ainda da tatuagem que tem com um leão, explicando a mensagem que a mesma transporta: “Foi a primeira tatuagem que fiz porque gosto de leões e do que simbolizam. Além disso o meu avô sempre me disse ‘Tens de ser um leão na vida porque se não comem-te a ti’. Fi-la também em homenagem a ele”.

Estas não serão as únicas contratações feitas no mercado espanhol: como o Observador já tinha escrito, Feddal, defesa marroquino de 31 anos do Betis, será contratado por um valor abaixo dos três milhões de euros e Adán, guarda-redes de 33 anos formado no Real Madrid que nas últimas duas temporadas foi suplente de Oblak no Atl. Madrid, está também quase fechado para fazer concorrência a Luís Maximiano na baliza em 2019/20. A dupla, em paralelo com o médio ofensivo Pedro Gonçalves, do Famalicão, será apresentada nos próximos dias.