Uma imagem de um quarto de hospital e um grito de raiva em forma de legenda. Foi através do Instagram que este domingo Sharon Stone revelou que a irmã está infetada com Covid-19, apontando responsabilidades a todos aqueles que continuam a desvalorizar o uso de máscara como forma de proteção contra a pandemia. A situação é, segundo a atriz, agravada pelo facto de Kelly, que mal se terá ausentado de casa nos últimos meses, sofrer de lupus.

“A minha irmã Kelly, que já sofre de lupus, tem agora Covid-19. Este é o seu quarto de hospital. Um de vocês que não usa máscara fez isto. Ela não tem sistema imunitário. Foi apenas à farmácia. Não fazem testes na região dela a não ser que apresentem sintomas, e aí é preciso esperar cinco dias pelos resultados. Conseguem ENCARAR ESTE QUARTO SOZINHOS?”, desabafou Stone perante os seus mais de 2.2 milhões de seguidores nesta rede social, com a publicação a somar já mais de 62 mil gostos.

Não é a primeira vez que Sharon Stone aborda publicamente a questão da máscara, defendendo o seu uso. Ao longo dos últimos meses são vários os posts povoados pela hashtag #wearamask. Depois da partilha do contexto hospital, Stone partilhou um vídeo onde retoma o assunto. Confirma que a irmã “não está nada bem”, revela que o cunhado, Bruce Singer, “também está a lutar pela vida”, tal como Kelly, e aborda o problema dos testes, ou falta deles, mesmo perante cenários mais graves. Com a família a residir em Montana, a atriz frisa que os testes para a Covid-19 estão reservados apenas a quem apresenta sintomas e que a sua mãe, apesar de ter passado por dois ataques cardíacos e usar um pacemaker desde o confinamento, não conseguiu fazer a despistagem.

Numa partilha de pendor marcadamente político, a atriz de 62 anos aproveita para instar os seguidores a votar nas próximas eleições presidenciais, depois de apontar o dedo aos atuais responsáveis. “As pessoas estão a morrer e a lutar pela vida porque só há mentiras. É este o estado em que estamos. Só vamos mudar isto através do voto em Joe Biden e Kamala Harris”, apela, sob o lema “votem para viver”.