A diretora — e educadora — de uma creche em Gaia foi acusada pelo Ministério Público de quatro crimes de maus-tratos alegadamente contra quatro crianças. Entre junho de 2017 e janeiro de 2018 a mulher, de 55 anos, além de desempenhar as funções de diretora técnica da creche do Lar Santa Isabel era também responsável por acompanhar as crianças com idade entre os dois e os três anos.

Segundo a acusação, citada pelo Jornal de Notícias, a mulher “tratou de forma discriminatória uma criança de dois anos por ela ser de origem africana”, por mais de uma vez, e ter obrigado três outras crianças a comer.

“A mulher terá introduzido à força pedaços de comida na boca, ao ponto de uma ter vomitado por não conseguir mastigar”, sendo que o MP “considera ainda ter ficado provado no inquérito que todos ficaram em pânico”.

“A funcionária também é acusada de ter obrigado as quatro crianças a dormir a sesta vestidas e calçadas, com a justificação de que assim já estavam prontas e não iriam dar trabalho quando acordassem”, detalha o jornal que relata ainda que a mulher terá deixado uma criança com febre durante todo o dia sem reportar aos pais que esta estaria doente e sem lhe dar qualquer medicação.

Depois de ter sido constituída arguida a mulher ficou sujeita a termo de identidade e residência. Segundo o JN, a mulher continua ainda a trabalhar no lar.