Se as eleições presidenciais fossem hoje, Ana Gomes teria 14% dos votos, ultrapassando André Ventura no segundo lugar, de acordo com uma sondagem da Intercampus para o Correio da Manhã e o Jornal de Negócios. Marcelo Rebelo de Sousa, que ainda não anunciou uma recandidatura, continua com larga vantagem, nos 60,3%, mas em queda face aos 67,7% do mês passado — já depois de ter caído em julho, quando alcançou 70,8% das intenções de voto.

A socialista, que ainda não tinha anunciado a candidatura no momento da sondagem, sobe 5,3 pontos percentuais face ao barómetro do mês passado (eram 8,7% em agosto), deixando o líder do Chega em terceiro lugar, com 9,4% (menos 0,7 pontos).

A luta entre os dois candidatos é uma corrida dentro da corrida, depois de André Ventura ter garantido que abdicava da liderança no Chega se ficasse atrás de Ana Gomes. “Se por acaso ficasse à minha frente [nas presidenciais] demitia-me de líder do Chega”, disse o deputado este mês.

Seguem-se Marisa Matias, a candidata do Bloco de Esquerda, que já anunciou a candidatura e que ganha dois pontos percentuais face ao mês passado, para 6,2%. E o candidato do PCP conquista 2,9% das intenções de voto (+0,4%), embora, à data do inquérito da Intercampus, o eurodeputado João Ferreira ainda não tinha sido anunciado como candidato comunista.

Em último lugar, está o candidato do Iniciativa Liberal, Tiago Mayen Gonçalves, com 0,5% das intenções de voto. Tino de Rans, que anunciou a candidatura na semana passada, ainda não é abrangido nesta sondagem.