A corporação dos bombeiros de Salto, concelho de Montalegre, disse esta terça-feira que testou 33 operacionais e dois deram positivo à Covid-19, justificando a iniciativa com o surto detetado num lar de idosos, onde se registam 36 infetados.

O comandante dos bombeiros de Salto, Hernâni Carvalho, disse esta terça-feira em comunicado que, “em virtude das circunstâncias” verificada naquela localidade, a corporação decidiu testar os operacionais que estiveram de serviço nos últimos 15 dias.

Num total de 33 testes realizados, dois elementos testaram positivo para o novo coronavírus. Estes elementos, com relação familiar a colaboradoras do lar de Salto, estão em isolamento, encontram-se assintomáticos e a nossa primeira palavra é de total solidariedade para com eles, as suas famílias, com votos de que tenham uma recuperação rápida, salientou.

Segundo o comandante, “até agora, continuam em isolamento profilático, apesar do teste negativo e de todos estarem assintomáticos, cinco elementos do corpo de bombeiros”. Os primeiros quatro casos de funcionárias do Lar de Nossa Senhora do Pranto positivas à Covid-19 foram conhecidos na quinta-feira e, na sexta-feira, foi realizado um rastreio a utentes da instituição, trabalhadores e familiares diretos. Entre idosos e funcionários há 36 casos positivos na instituição, mas o surto alastrou-se à comunidade e também há o registo de dois alunos da Escola do Baixo Barroso infetados. O rastreio dos bombeiros foi uma iniciativa do comando da corporação e os testes foram pagos pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Salto.

Neste momento, estamos a analisar toda a situação com a Autoridade de Saúde Pública, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e o Serviço Municipal de Proteção Civil de Montalegre para tomar todas as medidas necessárias para garantir a segurança de todos os nossos operacionais mas, de igual modo, para garantir o socorro à população e todo o apoio no combate a esta pandemia para o qual estamos motivados, explicou o comandante.

Segundo o boletim epidemiológico da Unidade de Saúde Pública do Alto Tâmega e Barroso, o concelho de Montalegre contabilizava na segunda-feira 45 casos ativos de Covid-19, a grande maioria residentes na vila de Salto. Desde o início da pandemia este concelho do distrito de Vila Real registou um total de 47 casos.

O presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, disse que foram também detetados dois casos de profissionais de saúde infetados no centro de saúde da sede do concelho. O autarca acrescentou que a situação no concelho está a ser monitorizada e que, se for necessário, serão “tomadas medidas mais drásticas”.

O Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil de Montalegre foi acionado na sexta-feira e foram implementadas medidas de prevenção para “impedir a disseminação descontrolada do vírus” em Salto, como o cancelamento por tempo indeterminado da feira local, que se realiza aos domingos, bem como de todas as atividades litúrgicas, como missas e ensaios do coro nesta freguesia. Foram também suspensos os serviços públicos camarário no Baixo Barroso e o polo de Salto do Ecomuseu está encerrado temporariamente.

Temos consciência de que o vírus está disseminado pela comunidade, mas temos o conforto de sentir que Salto está praticamente deserto e as pessoas estão a evitar saídas e encontros e é esse o caminho que temos que percorrer, afirmou o presidente.

Em Portugal, morreram 2.032 pessoas dos 80.312 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.