O presidente do PS, Carlos César, disse esta terça-feira que os Açores, com eleições legislativas este mês, precisam de um “governo competente” e “sobretudo experiente” para lidar com a atual situação pandémica e utilizar “muito bem” os recursos financeiros.

“Alguns partidos dizem que estamos sempre a falar da pandemia, mas para mim é isso que agora, e nos próximos anos, mais interessa, porque a pandemia na saúde e na economia infelizmente não acabou”, advertiu Carlos César, também presidente honorário do PS/Açores e antigo presidente do Governo Regional.

O socialista divulgou esta terça-feira um vídeo nas redes sociais em que pede que se dê “força” ao PS para as eleições de 25 de outubro.

“O que agora mais interessa é proteger a vida das pessoas, utilizar muito bem o dinheiro que o nosso governo [regional] conseguiu para os Açores, para termos mais capacidades nos nossos hospitais, nos nossos centros de saúde, para gerar emprego, riqueza e diminuir as desigualdades”, acrescentou.

As legislativas dos Açores estão marcadas para 25 de outubro, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.572 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.

O PS foi antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.

Vasco Cordeiro, líder do PS/Açores e presidente do Governo Regional desde as legislativas regionais de 2012, após a saída de Carlos César, que esteve 16 anos no poder, apresenta-se de novo a votos para tentar um terceiro e último mandato como chefe do executivo.