Sete equipamentos da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), em Lisboa e Conímbriga, vão receber 105 mil euros para dez projetos de criação de acessos para pessoas com mobilidade condicionada em museus, monumentos e palácios, foi esta quarta-feira anunciado.

De acordo com este organismo do Ministério da Cultura, o financiamento atribuído à execução de 10 projetos através do Programa de Acessibilidades aos Serviços Públicos e na Via Pública (PASPVT), vai permitir melhorar a capacidade de receber visitantes com necessidades especiais.

Os equipamentos beneficiados com apoio financeiro, em Lisboa, são o Palácio Nacional da Ajuda (PNA), para aquisição de uma plataforma elevatória, e o Museu Nacional de Arte Contemporânea (MNAC), para remodelação das instalações sanitárias do público no átrio da rua Serpa Pinto.

Também foi beneficiado o Museu Nacional do Traje (MNT), na acessibilidade aos pisos 0, das exposições temporárias, e piso 1, da exposição permanente, e o Museu Nacional do Teatro e da Dança (MNTD), para remodelação funcional de instalação sanitária para utilização por pessoas com mobilidade condicionada.

Ainda na capital, são contemplados o Panteão Nacional, com execução de rampa e de corrimão para acesso à galeria Norte, e o Museu de Arte Popular (MAP), com remodelação das instalações sanitárias e rampa e portas de acesso e aquisição de elevador de escadas portátil.

Neste grupo de dez instituições está igualmente incluído o Museu Monográfico de Conímbriga — Museu Nacional (MMC), em Condeixa-a-Velha, junto a Coimbra, para instalação de duas rampas.

Todas as intervenções programadas no âmbito do PASPVT são financiadas a 100 por cento, e deverão estar concluídas até ao final de 2020, adianta a DGPC.

O PASPVP tem por objetivo “promover a acessibilidade aos cidadãos com mobilidade condicionada, mediante a eliminação de barreiras arquitetónicas no edificado afeto aos organismos da administração pública, na forma direta e indireta, que realize atendimento ao público ou que receba público, perspetivando a criação de espaços com condições de acesso para todos”, segundo a entidade.

Este Programa é operacionalizado pela Estrutura de Missão para a Promoção das Acessibilidades.