O queniano Conseslus Kipruto, campeão olímpico dos 3.000 metros obstáculos, foi esta segunda-feira acusado de “abusar sexualmente” de uma menor de 15 anos, tendo pago uma fiança para sair em liberdade, após dias de detenção.

Depois de ter sido denunciado, o campeão mundial em Londres2017 e Doha2019 esteve em fuga e foi detido em 11 de novembro, tendo ficado sob custódia da polícia, que o manteve cativo sob “estritas medidas de segurança”.

O jornal The Standard relata que o atleta, de 25 anos, terá abusado da menor entre 20 e 21 de outubro na aldeia de Tironin, na província de Nandi. A sentença será conhecida em 10 de maio de 2021.

Kipruto negou as acusações e foi libertado a troco de 200 mil xelins (cerca de 1.550 euros).

A denuncia foi feita pela família da adolescente, quando a menor regressou a casa três dias depois de estar em paradeiro desconhecido.

A jovem escusou-se a revelar onde tinha estado, mas os pais chegaram a Kipruto através do seu telemóvel, percebendo os contactos com o campeão olímpico, em cuja casa tinha ficado.

Antes de apresentar a denuncia por abuso sexual, os pais levaram a menor para fazer exames num hospital.