O serviço “Revitaliza Porto.”, que apoia a comunidade de negócios da cidade na resposta à pandemia, recebeu, na primeira semana, 94 pedidos de empresas e investidores, designadamente do setor do turismo, hotelaria, restauração e comércio, foi esta quarta-feira revelado.

“Vocacionado para o apoio especializado às micro, pequenas e médias empresas do Município do Porto como resposta à crise pandémica, o serviço “Revitaliza Porto.” entrou em funcionamento no dia 20 de novembro e uma semana depois tinha recebido 94 pedidos – 90 feitos por empresas e quatro por parte de investidores”, lê-se numa nota publicada na página oficial da Câmara do Porto.

De acordo com os dados revelados, 97,8% dos pedidos feitos por empresas estão relacionados com a Covid-19, sendo que o perfil dos agentes económicos que solicitaram apoio mostra que estão em causa, sobretudo, empresas com uma existência relativamente recente: mais de um terço (32 empresas) tem menos de cinco anos de atividade.

Houve ainda 29 solicitações apresentadas por empresas cujo início de atividade ocorreu entre 2011 e 2015.

De acordo com a autarquia, a esmagadora maioria dos pedidos de apoio foi feito por microempresas (82) e os pedidos provêm sobretudo de entidades afetas a dois setores de atividade: Turismo, Hotelaria e Restauração (43) e Comércio (41).

No que diz respeito aos investidores, três dos quatro pedidos de apoio apresentados relacionam-se com investimentos inferiores a 250.000 euros, sendo que apenas um está ligado a um investimento entre um e 10 milhões de euros.

Dos quatro pedidos, houve dois feitos por investidores com origem em Portugal, um com origem no Brasil, e outro com origem em Israel.

Para aceder ao serviço gratuito do “Revitaliza Porto.” basta submeter um pedido de apoio respondendo às perguntas de diagnóstico disponíveis em InvestPorto ou telefonar para o número 220 100 220 da Linha Porto., e selecionar a opção 4.

Lançado no dia 20 de novembro pelo município, através da InvestPorto, o serviço visa apoiar a comunidade de negócios da cidade na resposta à nova fase da crise pandémica, através do esclarecimento de dúvidas e a obtenção de conselhos e informações sobre as últimas medidas de apoio mais importantes para cada negócio.

Portugal contabiliza pelo menos 4.577 mortos associados à Covid-19 em 300.462 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 9 de novembro e até 8 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo, e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.