A Volvo anunciou que pretende investir 680 milhões de euros nos próximos anos para produzir, a partir de 2025, motores eléctricos na histórica fábrica de Skövde, na Suécia.

Fundada em 1868 por John G. Grönvall, então com o nome de Sköfde Gjuteri & Mechanical Workshop e com apenas 25 trabalhadores que se dedicavam a produzir caldeiras, panelas, fogões, arados e debulhadoras, esta unidade fabril construiu em 1907 o seu primeiro motor, com apenas 1 cilindro e 3 cv, mas veio a fazer parte da história da Volvo desde a sua fundação. “O primeiro Volvo de 1927 tinha um motor construído em Skövde”, destaca o vice-presidente sénior de Operações Industriais e Qualidade da Volvo, Javier Varela.

Agora o passado vai virar-se para o futuro, pois o construtor sueco considera que “os motores eléctricos irão assumir o papel do motor de combustão na engenharia automóvel e, em conjunto com as baterias e a electrónica, serão componentes fundamentais nos automóveis eléctricos”. Skövde surge como uma escolha natural para fazer esta transição: “A equipa é altamente qualificada e comprometida em fornecer os mais altos padrões de qualidade. É justo que faça parte do nosso empolgante futuro”, justifica Varela.

Javier Varela

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Volvo pretende, assim, libertar-se das amarras dos fornecedores, razão pela qual vai chamar a si o design e o desenvolvimento dos seus próprios motores eléctricos. Este trabalho será repartido entre Gotemburgo, na Suécia, e Xangai, na China, onde foi recentemente inaugurado um “laboratório para novos motores eléctricos”. O objectivo, de acordo com o fabricante, é “optimizar ainda mais os motores e a transmissão eléctrica dos novos modelos”, de forma a obter “maiores ganhos, em termos de eficiência energética e desempenho geral”.

Porém, antes de começar a fabricar os seus próprios motores eléctricos, o fabricante escandinavo pretende deslocar para a fábrica de Skövde a montagem destas unidades, o que implica que as actividades focadas na produção de motores de combustão interna sejam transferidas para uma subsidiária da Volvo, chamada Powertrain Engineering Sweden.