A Conferência Episcopal Portugal (CEP) anunciou esta quinta-feira a suspensão das missas, a partir de sábado, bem como catequeses e outras atividades pastorais que impliquem contacto, face à situação pandémica que o país está a viver.

Tendo consciência da extrema gravidade da situação pandémica que estamos a viver no nosso País, consideramos que é um imperativo moral para todos os cidadãos, e particularmente para os cristãos, ter o máximo de precauções sanitárias para evitar contágios, contribuindo para ultrapassar esta situação”, refere a CEP em comunicado.

As dioceses das regiões autónomas dos Açores e da Madeira darão orientações próprias.

A Conferência Episcopal adianta que devem ser complementadas com as possíveis ofertas celebrativas, transmitidas em direto por via digital.

As exéquias cristãs (funerais e cerimónias fúnebres) devem ser celebradas de acordo com as orientações da Conferência Episcopal de 8 de maio de 2020 e das autoridades competentes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A 8 de maio a CEP referia que nos funerais e cerimónias fúnebres é permitida a presença dos familiares na igreja, cumprindo as regras de segurança.

Desde 15 janeiro, por determinação governamental, a realização de funerais está condicionada à adoção de medidas organizacionais que garantam a inexistência de aglomerados de pessoas e o controlo das distâncias de segurança, designadamente a fixação de um limite máximo de presenças, a determinar pela autarquia local que exerça os poderes de gestão do respetivo cemitério.

Por outro lado, do limite fixado não pode resultar a impossibilidade da presença no funeral de cônjuge ou unido de facto, ascendentes, descendentes, parentes ou afins.

Exprimimos especial consideração, estima e gratidão a quantos, na linha da frente dos hospitais e em todo o sistema de saúde, continuam a lutar com extrema dedicação para salvar as vidas em risco. Que Deus abençoe este inestimável testemunho de humanidade e generosidade e que eles possam contar com a solidariedade coerente e responsável de todos os cidadãos, a fim de que, com a colaboração de todos, possamos superar esta gravíssima crise e construir um mundo mais solidário, fraterno e responsável”, salienta a CEP em comunicado.

Diocese do Funchal mantém missas e igrejas abertas

A Diocese do Funchal anunciou esta quinta-feira que as missas continuarão a ser celebradas e as igrejas vão permanecer abertas na Madeira, embora as “atividades pastorais” estejam já “reduzidas ao mínimo”.

“As igrejas da Diocese do Funchal continuarão abertas e a missa continuará a ser celebrada com todos os cuidados e medidas preventivas”, lê-se numa nota divulgada no site da Diocese do Funchal.

Contudo, é acrescentado, a “Diocese continuará atenta à situação epidemiológica na região”.

Em declarações à Lusa, o responsável do gabinete de informação da diocese, Marcos Gonçalves, adiantou que as restantes “atividades pastorais estão reduzidas ao mínimo, resumindo-se quase às missas”.

Quanto às aulas de catequese, Marcos Gonçalves disse que “a decisão fica ao critério dos respetivos párocos, de acordo com a avaliação que façam da situação epidemiológica da paróquia”.

Além disso, terão que estar “reunidas as condições que garantam o cumprimentos das regras sanitárias determinadas pelas autoridades”, enfatizou.

A 15 de janeiro a CEP tinha já determinado a suspensão ou adiamentos das celebrações de batismos, crismas e casamentos, face ao que classificou como “gravíssima situação de pandemia” que Portugal vive.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.075.698 mortos resultantes de mais de 96,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.465 pessoas, em 581.605 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.