Francisco Rodrigues dos Santos não gostou de ouvir um deputado do PS, Ascenso Simões, a defender demolição do Padrão dos Descobrimentos, no âmbito do debate que surgiu mais aceso nos últimos dias sobre a convivência com factos e elementos históricos que vêm de períodos criticáveis — a polémica em torno do voto de pesar do tenente-coronel Marcelino da Mata muito contribuiu para isso. Mas o líder do CDS diz que o deputado socialista cometeu um “insulto grave”.

Numa nota enviada aos jornalistas, o líder do CDS diz que “os últimos dias têm sido pródigos em insultos da esquerda e da extrema esquerda à nossa História. Nada de novo vindo de quem sempre quis rescrevê-la”, escreve. Depois pega no artigo de opinião de Ascenso Simões na edição do jornal Público desta sexta-feira para o classificar como “o cúmulo da falta de noção. Isto só daria para ‘Os Apanhados’!”.

Deputado do PS defende demolição do Padrão dos Descobrimentos

Aproveitando a questão, o líder dos democratas-cristãos exige que “António Costa coloque os seus deputados na ordem e trave a ‘Bloco de Esquerdização’ do PS, ou então que abra a porta de saída aos que não sabem dignificar o lugar que ocupam”. E diz mais: “Ficámos a saber que temos deputados que em vez de enaltecerem a nossa História ou, pelo menos, de a respeitarem, têm vergonha dela. Era caso para Portugal se envergonhar de ter Deputados assim”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O deputado do PS disse esta sexta-feira ao Observador que “quando não temos leitura da história achamos que a normalidade é passar por um qualquer momento sem nos questionarmos. Mas se nos questionássemos, enquanto sociedade, perguntaríamos porque é que não derrubamos aquele que é um dos grandes monumentos do regime ditatorial”. Isto na defesa da demolição do Padrão dos Descobrimentos, precisamente por este ser “um monumento do regime ditatorial”.