Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Kyril Louis-Dreyfus tornou-se, este mês, o mais jovem presidente do futebol inglês. O francês de 23 anos adquiriu, após aprovação da Liga Inglesa de Futebol, a maioria das ações do Suderland, um clube da League One inglesa.

Louis-Dreyfus, que começou a interessar-se por futebol por causa do pai, o multimilionário franco-suíço Robert Louis-Dreyfus, com o qual costumava assistir aos jogos do Olympique de Marseille (OM), apresentou uma proposta para adquirir as ações do antigo dono do clube, Stewart Donald, em novembro de 2020.

Robert Louis-Dreyfus, que pertencia à família que gere a importante empresa comercial Louis Dreyfus, fundada em 1851, adquiriu o OM em 1997. Geriu o clube até à sua morte, em 2009, data em que o Marseille passou para a sua viúva, Margarita Louis-Dreyfus. Em 2016, quando a maioria das ações foram adquiridas pelo empresário norte-americano Frank McCourt, os Louis-Dreyfus juraram que não voltariam a ter nada a ver com futebol, “um negócio podre”. Até que Kyril Louis-Dreyfus decidiu avançar com a compra do Suderland, “uma instituição acarinhada”, que ocupa atualmente o quinto lugar da League One.

Em declarações aos fãs, esta terça-feira, Louis-Dreyfus confessou que a principal razão para ter investido no Suderland foi a paixão daqueles que apoiam o clube de futebol. “O Suderland é um projeto especial”, afirmou em entrevista ao jornal francês L’Equipe. “O fervor das pessoas é parecido com o do Marseille. Havia mais espectadores do que em metade dos clubes da Premier League. Isso não se compra. Em cidades como Zurique, Mónaco, ninguém se interessa por futebol. Isso limita as possibilidades de expansão”, explicou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Kyril Louis-Dreyfus, que teve de abandonar o sonho de uma carreira como jogador ou treinador de futebol devido a uma lesão, estudou gestão internacional de desporto na Richmond International Academic & Soccer Academy, uma instituição privada de ensino, mas abandonou o curso ao fim de um ano, em 2018. Mas seu entusiasmo não esmoreceu pelo futebol, e foi assim que convenceu os membros do clube a aceitarem a sua proposta.

“O compromisso, perspicácia e integridade do Kryil convenceu-nos a aceitar a proposta”, afirmou Stewart Donald, antigo dono do clube inglês, que manterá uma percentagem minoritária das ações. “A sua visão e o desejo de trazer sucesso para o Suderland era óbvia e sentimos que a sua proposta dá ao clube uma melhor hipótese de atingir o sucesso e sustentabilidade a longo prazo”, citou o The Guardian.

Num comunicado divulgado a meio do mês de fevereiro após a aprovação do negócio pela Liga Inglesa de Futebol, o francês de 23 anos disse estar “orgulhoso de se tornar um guardião de um instituição acarinhada”, mas reconheceu “a responsabilidade” do cargo que assumia. Kyril Louis-Dreyfus mostrou-se, no entanto, confiante de que, em conjunto com os fãs e membros do clube, será possível construir um futuro sólido e sustentável para o Suderland.