Norman Volker Franz está quase há mais anos a fugir à justiça do que em liberdade. A primeira fuga levada a cabo por este homicida alemão aconteceu em 1997. Com 26 anos, Franz tinha sido condenado a prisão perpétua pelo homicídio de dois ocupantes de um carro para onde atirou uma granada, mas conseguiu escapar à prisão da cidade alemã de Hagen, no ano seguinte.

Portugal foi o país que escolheu para se refugiar — mas as autoridades só viriam a descobrir isso em 1988. Foi nesse ano que o homicida alemão foi encontrado em território português a trabalhar no ramo imobiliário e a viver com a sua família, sob os pseudónimos Carsten Müller e Michael Stuever. Nessa altura em que foi preso novamente, a polícia já tinha suspeitas sobre ele em relação a mais três homicídios levados a cabo na Alemanha.

Foi preso, mas por pouco tempo. No final de julho de 1999, então com 29 anos, fugiu do Estabelecimento Prisional de Lisboa e desapareceu até aos dias de hoje. No passado dia 30 de janeiro fez 51 anos, tem cabelo castanho e 1,77 metros de altura.

As informações de Norman Volker Franz, na página da Interpol

Em 2010, a Interpol lançou o primeiro alerta e colocou Norman Volker Franz na lista de criminosos mais procurados do mundo. Agora, 11 anos depois, a polícia alemã ainda considera que o homicida alemão representa “perigo” para a sociedade e, por isso, lançou um novo apelo para o encontrar, que está a ser apoiado pela Interpol, segundo anunciou esta organização internacional de polícia criminal no seu site.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Franz tem uma longa história de crime violento e organizado, incluindo assaltos à mão armada”, explica a Interpol no site.

Desta forma, as autoridades renovaram o pedido de ajuda ao público e pedem a que “qualquer pessoa com informações sobre a localização do suspeito” entre em contacto com a BKA, uma agência federal de investigações dos governos da Alemanha e Áustria, ou com a unidade de fugitivos da Interpol. E alertam: “Franz deve ser considerado perigoso e pode estar armado”.