O Prémio Carlos do Carmo distinguiu, na sua primeira edição, o álbum Lina_Raül Refree, da fadista Lina Rodrigues e do músico espanhol Raül Refree, anunciou a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), promotora do galardão.

O Prémio Carlos do Carmo foi instituído pela SPA para homenagear o fadista, que morreu em 01 de janeiro, e distingue nesta primeira edição um álbum que “oferece uma reinterpretação do fado e do repertório de Amália Rodrigues com base na voz, piano e sintetizadores”, segundo o comunicado da cooperativa de autores.

O álbum premiado junta a fadista Lina Rodrigues e o músico Raül Refree, produtor de nomes como Silvia Perez Cruz e Rosalía. No final do ano passado foi um dos álbuns em destaque da lista de melhores discos de 2020 do Observador.

Dançámos sozinhos, mas cantámos juntos: estes são os nossos 27 discos favoritos de 2020

Lina Rodrigues, natural de Trás-os-Montes, atuava no Clube do Fado, em Lisboa, e tinha anteriormente editado os álbuns Carolina (2014) e enCantado (2017).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Raül Refree é o nome artístico de Raül Fernandez Miró, nascido há 45 anos em Barcelona, com uma carreira na música pop, tendo trabalhado, como produtor, com El Niño de Elche e Lee Ranaldo, entre outros.

O júri foi presidido pelo maestro António Victorino d’Almeida e constituído também pelo musicólogo Rui Vieira Nery, pelo cantor e compositor Paulo de Carvalho, pelo músico Tozé Brito e pelo poeta Tiago Torres da Silva.

O álbum de Lina e Refree tinha sido eleito, no final do ano passado, o melhor de 2020 por produtores de estações de rádio da Europa, através do World Music Charts Europe.

Os melhores discos da música portuguesa em 2020

O disco, editado no início de 2020, recebeu boas críticas de ‘media’ como BBC, Les Inrocks, The Guardian e Pitchfork, tendo sido distinguido também pela crítica alemã.

O prémio será entregue no dia 25 de maio, durante as celebrações do Dia do Autor Português, segundo a SPA.