Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal passou do bom aluno da Europa, ao dos piores casos no mundo — sempre em termos relativos, claro. Agora, volta a estar entre os exemplos a seguir, mas sem se livrar das cicatrizes do passado. Em quatro meses, desde 20 de outubro, Portugal aumentou o número de infeções quase oito vezes (de 103 mil para 796 mil) e, em dois meses, desde o início de janeiro, o número de mortes aumentou duas vezes e meia.

Agora, e desde o início de março, Portugal aplanou a curva dos casos de infeção com SARS-CoV-2 e das mortes por Covid-19, ainda que isso não elimine o facto de estarmos entre os 20 países com maior número de mortes por milhão de habitantes.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.