Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O primeiro-ministro já reagiu à notícia de que o Tribunal Geral da União Europeia decidiu anular a ajuda de Estado à TAP, dando razão a uma queixa apresentada pela Ryanair. Em declarações aos jornalistas nesta quarta-feira, António Costa desvalorizou, para já, a decisão, cujos efeitos estão por agora suspensos, descrevendo a posição do Tribunal como uma “decisão preliminar”.

“Tanto quanto sabemos, o que o Tribunal decidiu foi solicitar para já à Comissão Europeia informações complementares. É um processo de que não somos parte”, distanciou-se Costa, garantindo que se a Comissão Europeia “solicitar alguma coisa” Portugal dará mais informação. No entanto, o primeiro-ministro reforçou: “Tanto quanto percebi é uma decisão meramente preliminar. No nosso direito diríamos que é uma providência cautelar”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.