Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Kevin de Bruyne, Gündogan, Phil Foden, Bruno Fernandes, Harry Kane. Eram vários os nomes apontados ao prémio cada vez mais disputado de Melhor Jogador do Ano na Premier League e entre eles estava também o de Rúben Dias, num efeito semelhante ao de Virgil van Dijk quando se mudou para o Liverpool. E foi mais do que isso: o rumor de uma possível vantagem nessa corrida tornou-se uma real hipótese, a real hipótese passou agora a ser uma certeza e o central português conquistou o principal troféu individual logo na época de estreia.

O internacional português, que começou ainda a temporada de 2020/21 no Benfica (três jogos, um golo), fez um total de 50 jogos na estreia pelo Manchester City entre Campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga e Champions. Na Premier League, Rúben Dias realizou 32 encontros e 2.845 minutos, tendo marcado um golo. Além do título principal e de nova conquista da Taça da Liga, entre uma final perdida da Liga dos Campeões, o conjunto de Pep Guardiola conseguiu ser não só o melhor ataque (83 golos marcados em 38 jogos) mas também a defesa menos batida (32 golos sofridos), um registo que não costuma ser habitual no conjunto dos citizens.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Dias foi um pivô na terceira Premier League do Manchester City em quatro anos e teve um impacto imediato depois da sua mudança do Benfica em setembro de 2020. O jogador de 24 anos encaixou na perfeição na equipa de Pep Guardiola e emergiu como o líder da defesa do City na sua série de 15 vitórias consecutivas, a quarta maior sequência da história da Premier League. Dias contribuiu para 15 jogos sem golos sofridos, ganhando 23 dos 32 encontros realizados com 35 interceções, 24 tackles, 23 remates bloqueados e 135 recuperações. Também ajudou o City a ganhar a Taça da Liga e a chegar à final da Champions”, destaca a Premier League.

“Dias é apenas o quarto defesa na história a ser nomeado Melhor Jogador do Ano, imitando o central do Manchester United Nemanja Vidic, o antigo capitão do City Vincent Kompany e o central do Liverpool Virgil van Dijk. É também apenas o segundo jogador português a ganhar este prémio, depois de Cristiano Ronaldo no Manchester United em 2006/07 e 2007/08. O voto do público foi combinado com as escolhas dos 20 capitães de equipa e com um painel de especialistas de futebol que deram a vitória a Dias. Ele bateu outros sete nomeados como De Bruyne, Bruno Fernandes, Jack Grealish, Harry Kane, Mason Mount, Salah e Soucek”, acrescentou.

“Fantástico terminar a temporada e ser nomeado o Jogador do Ano da Premier League! Um prémio para toda a equipa que trabalhou de forma árdua para dar de volta o título aos nossos adeptos. Obrigado aos capitães, painel e todos os fãs que votaram em mim. Vemo-nos daqui a uns meses para voltarmos a repetir tudo outra vez!”, escreveu o central formado no Benfica no Twitter, na primeira reação ao troféu conseguido.