Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Inglaterra precisou do prolongamento mas venceu esta quarta-feira a Dinamarca por 2-1, em Wembley, garantindo assim a primeira ida do país à final de um Europeu. É apenas a segunda vez que os ingleses ganham uma meia-final em toda a sua história, sendo que a primeira foi no longínquo ano de 1966.

Acorda do sonho, futebol. Pode estar na hora de voltares a casa (a crónica do Inglaterra-Dinamarca)

A jogar em casa, com o Mundial em solo inglês, os Three Lions até acabariam por se sagrar campeões do mundo (a única grande competição do palmarés), mas antes, na tal meia-final, tiveram de defrontar Portugal. E que equipa tinha Portugal!

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Num jogo que esteve marcado para o Goodison Park, em Liverpool, mas que acabou por ser transferido para o gigante antigo Wembley, onde estiveram cerca de 100 mil pessoas, os jogadores da equipa nacional vinham moralizados de uma reviravolta épica frente à Coreia do Norte (5-3).

Eusébio, que foi o melhor marcador da competição com nove golos, foi a grande figura nacional, mas o que dizer do resto da equipa, com atletas como Coluna, Simões, José Augusto, José Torres ou Hilário.

O mítico Wembley acabou por não ser simpático para as cores nacionais. O não menos lendário Bobby Charlton marcou aos 30′ e depois já à entrada dos 10 minutos finais, deixando o jogo praticamente decidido. Eusébio da Silva Ferreira (que chorou no final), de grande penalidade, ainda reduziu pouco depois, mas não foi suficiente.

Moral da história: a única vez que a Inglaterra ganhou uma meia-final, ganhou a competição. Em 1966, jogou a meia-final e final em Wembley. Este ano, bem, a mesma coisa. Veremos se o resultado será o mesmo. Há 55 anos, a RFA perdeu 4-2 com a Inglaterra na final. No domingo, são os italianos a dizer se a história se repete ou não. E enquanto uns dizem “Football’s coming home”, os transalpinos dão outro mote: “Football’s coming Rome”.