Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma semana depois da tomada de Cabul, os talibãs estão a intensificar as negociações com vista à formação do próximo governo do Afeganistão. Ao longo deste sábado, vários líderes de topo do movimento talibã aterraram em Cabul e estiveram reunidos com figuras de proa da política afegã dos últimos 20 anos — numa altura em que os talibãs se têm esforçado por passar para o exterior uma imagem de moderação a fim de se assumirem como os governantes legítimos do Afeganistão e de obterem o reconhecimento internacional do seu regime.

Ensaio. Os vinte anos norte-americanos no Afeganistão

Na manhã deste sábado, soube-se que o cofundador e número dois dos talibãs, Abdul Ghani Baradar, chegou a Cabul para conversações com outros membros do movimento e líderes políticos sobre a formação do novo governo do Afeganistão.

Uma fonte oficial dos talibãs disse à agência France-Presse que Baradar iria encontrar-se em Cabul com “líderes e políticos jihadistas para estabelecer um governo inclusivo”. Baradar regressou ao Afeganistão na terça-feira, dois dias após os talibãs terem assumido o poder em Cabul, tendo aterrado na cidade de Kandahar — o lugar de origem dos talibãs — e sido recebido por uma multidão de apoiantes.

O cofundador dos talibãs estava no Catar, onde chefiou o gabinete político do movimento e conduziu as negociações com os Estados Unidos que levaram à retirada das forças estrangeiras do Afeganistão. Abdul Ghani Baradar, que fundou os talibãs com Mohammad Omar no início da década de 1990 e é considerado o líder político do movimento, é apontado como o mais que provável próximo Presidente, ou chefe de governo, do Afeganistão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quem vai ser o Presidente, com que legitimidade e em que regime? O que ainda não se sabe sobre o Afeganistão dos talibãs

Mais tarde, soube-se que mais elementos da cúpula política dos talibãs, até agora sediada em Doha, no Catar, já tinham chegado a Cabul e tinham estado presentes em reuniões com figuras relevantes da política afegã dos últimos 20 anos.

O antigo delegado do governo afegão para as negociações de paz com os talibãs, Abdullah Abdullahpartilhou este sábado no Facebook um conjunto de fotografias que mostram reuniões em Cabul com o antigo embaixador dos talibãs na Arábia Saudita, Shahabuddin Delawar, o antigo ministro da Administração Interna do regime talibã, o mulá Khairullah Khairkhwa, e o negociador talibã Abdul Salam Hanafi.

Nestas reuniões esteve também presente o antigo Presidente afegão, Hamid Karzai (que liderou o país entre 2001 e 2014), um dos mais respeitados políticos do país, que nos últimos tempos tem sido uma das principais pontes de diálogo com os talibãs.

Mullah Ghani Baradar, cofundador e número dois do movimento talibã, regressa ao país

Na publicação que acompanha as fotografias, Abdullah Abdullah escreveu que a reunião entre a cúpula dos talibãs e figuras de proa da política recente afegã abordou “a atual situação do país, a segurança das pessoas, o processo político e o respeito pelos valores nacionais, incluindo a bandeira“.

Nos últimos dias, os talibãs têm dito publicamente que estão a procurar constituir um governo plural, com representantes de vários segmentos da população afegã e também com mulheres — uma promessa que tem sido acolhida com ceticismo no Ocidente, que aguarda os desenvolvimentos para decidir se vai ou não reconhecer o novo regime. O movimento prometeu para os próximos dias novidades sobre o futuro do regime do país.