Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

A mãe de Adrien Rabiot é, quase de certeza, a mãe mais conhecida do futebol europeu. Mais: a mãe de Adrien Rabiot, é quase de certeza, a mãe mais conhecida do futebol mundial. Depois de ter tido um papel determinante no processo complexo e doloroso que levou o filho do PSG para a Juventus — e que, a dada altura, até fez com que o médio deixasse de jogar por não querer renovar –, Veronique Rabiot voltou a ser notícia no Euro 2020 quando discutiu com as famílias de Mbappé e Pogba depois da eliminação francesa, nos oitavos de final, com a Suíça. Mas agora, ao que parece, a mãe de Rabiot tem concorrência.

Fayza Lamari, a mãe de Mbappé, saltou para a atualidade francesa e europeia nas últimas horas — e tudo por causa de algo que, alegadamente, também terá acontecido durante o Euro 2020. Num livro recentemente publicado, a antiga jogadora de andebol é acusada de organizar reuniões secretas com os jornalistas franceses que estavam a acompanhar a seleção de Didier Deschamps durante o Europeu para instigar uma espécie de teoria da conspiração contra a equipa e também dar alguns detalhes sobre o lugar do próprio filho no grupo.

A mãe disse-lhe para não ir, apareceu atrasado, pode acabar fora da Juventus. O novo episódio de Rabiot pode ser o fim do filme

“Em diversas ocasiões durante o Europeu, os pais de Kylian Mbappé, particularmente a mãe, Fayza, organizaram serões com vários jornalistas. A maioria decorreu entre os treinos da seleção francesa e aconteceu para discutir os bastidores da equipa e, inevitavelmente, a situação do próprio filho e a forma como este se posicionava dentro dos campeões do mundo. Uma foi mesmo uma conferência de imprensa informal para passar algumas mensagens sobre a vida da seleção e especialmente sobre o lugar ocupado pelo Kylian no coletivo de Didier Deschamps — que não estava necessariamente alinhado com as expectativas daqueles que o rodeavam”, pode ler-se no livro “Du Mondial à L’Euro: L’histoire secrète d’un rendez-vous raté”, algo como Do Mundial ao Euro: A História Secreta de um Rendez-vous Falhado, do jornalista Baptiste Deprez, do jornal Le Figaro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Neste capítulo, o autor detalha ainda que a maioria das reuniões aconteceu em cafés e restaurantes de Budapeste, na Hungria, onde a seleção francesa defrontou não só a equipa húngara como também a Seleção Nacional durante a fase de grupos do Euro 2020. Ora, entretanto, a mãe do jogador do PSG já reagiu às acusações através das redes sociais e rejeitou todas as alegações levantadas, numa publicação onde não só identificou Baptiste Deprez como também a própria Federação Francesa de Futebol.

“Falsos segredos e um verdadeiro engano. Agora que já estou neste meio há algum tempo, acho que já sei um pouco sobre os códigos e as regras. Mas nunca vou habituar-me à desonestidade e à malevolência. Alegar que organizei reuniões secretas com jornalistas para fins mais ou menos conspiratórios é um total absurdo. Até porque sei que, se quiser manter um segredo, evito compartilhá-lo com os profissionais da comunicação social. Se existiram algumas reuniões informais com certos jornalistas, foram apenas contactos clássicos de cortesia, nada mais”, escreveu Fayza Lamari na própria conta de Twitter.