Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em atualização

Em poucas horas as notícias sobre o vulcão Cumbre Vieja, em La Palma (Canárias), mudam completamente: primeiro, o rio de lava tinha aumentado a velocidade enquanto avançava para o mar, depois o vulcão parou subitamente a atividade, ficou silenciou durante duas horas, explodiu e calou-se novamente.

Durante mais de duas horas, entre as 8h30 e as 11h00 locais (mesma hora em Lisboa), as explosões no vulcão, a erupção de lava e a emissão de fumo a partir de Cumbre Vieja pararam. A mudança repentina tinha deixado os especialistas surpreendidos, segundo o jornal El Mundo. Depois, retomou atividade, o que não é inesperado, já antes tinha alternado períodos de calma com outros de explosões. E assim fez, durante cinco minutos houve explosões e fumo e, de novo, o regresso à calma.

Prontamente os cientistas começaram a analisar o que poderia justificar esta interrupção da atividade vulcânica e tinham, pelo menos, quatro cenários em cima da mesa. O menos provável era que estivesse prestes a parar totalmente a atividade. Outras duas hipóteses seriam que o vulcão se estava a recarregar de magma para voltar a entrar em erupção ou que algo estava a bloquear a saída do magma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A hipótese mais provável era que o magma se estivesse a deslocar e que viesse a sair num outro ponto. Os sismos que entretanto surgiram um pouco mais a sul poderiam explicar isso mesmo.

Neste momento, o cientistas continuam a avaliar o que pode justificar estas mudanças na atividade vulcânica, com períodos de calma alternados com explosões e emissão de fumo e gases.

Rio de lava cada vez mais próximo do mar

Uma semana depois do início da erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma (Canárias), o rio de lava aumentou a velocidade no caminho para o mar e foi decretado o confinamento em quatro núcleos populacionais pelo risco de inalação de gases tóxicos. Nem a interrupção da erupção impediu que o rio continuasse o seu caminho.

La Palma. Cone principal do vulcão colapsa parcialmente e abre-se nova fonte emissora de lava

A ordem foi dada de urgência, pela meia-noite (hora local), e implica que as pessoas nestes locais permaneçam fechadas dentro das suas casas com as portas e janelas bem fechadas até novas ordens, noticiou o jornal El País. O risco, neste caso, não é a lava diretamente, mas os gases tóxicos que se podem produzir quando a rocha fundida entrar em contacto com a água do mar.

O rio de lava, que se encontrava a cerca de quilómetro e meio do mar, aumentou a velocidade quando o braço de lava que jorrava para sul se juntou ao principal. O fluxo de lava aumentou a velocidade de avanço, mas o facto de a lava vir de uma profundidade maior (a cerca de 10 quilómetros) também faz com que a lava mais quente (cerca de 1.200 ºC) e mais fluída escorra mais depressa. Estima-se que a lava corra a 100 ou 200 metros por hora.

En el encuentro de la lava, con una temperatura superior a los 1.000ºC, con el mar, con una temperatura entorno a los…

Posted by Instituto Volcanológico de Canarias on Sunday, September 26, 2021

Os ventos em altitude têm espalhado as cinzas do vulcão mais longe do centro da erupção e a mudança dos ventos permitiu que a este da ilha, do lado oposto ao da erupção, seja possível ouvir as explosões.

Estima-se que 500 a 600 edifícios de habitação, de uso agrícola ou industrial tenham sido destruídos até ao momento. A lava já ocupou mais de 200 hectares da ilha de La Palma, mas há mais de 1.300 ocupados pelas cinzas expelidas.

Atualizado às 12h05