Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nunca tantos estudantes requereram uma bolsa de ação social para frequentarem o ensino superior em Portugal como neste ano. Ao todo foram 98 mil os alunos que já pediram nesta fase letiva o apoio estatal, estima o jornal Público, referindo dados disponibilizados pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES).

As bolsas de ação social no ensino superior podem ser requeridas por alunos cujo agregado familiar tenha um rendimento per capita inferior a 8.962 euros.

O ano passado, por esta altura, o número de bolsas de ação social requeridas era inferior — menos 1.250 pedidos, de acordo com o Público. Há quatro anos, existiam menos 4.479 pedidos de alunos por este tipo de apoio.

O número de estudantes que concorre ao ensino superior em Portugal tem vindo a aumentar consistentemente ao longo dos anos, mas não explicará inteiramente a intensificação de pedidos de bolsas de ação social. A presidente da Federação Académica do Porto (FAP), Ana Gabriela Cabilhas, coloca outro dado na equação em declarações ao Público: o “aumento das dificuldades dos estudantes, devido às quebras de rendimentos” dos próprios ou dos seus agregados familiares, na sequência da crise e paralisação económica provocadas pela pandemia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR