Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Com o apuramento garantido para os oitavos de final da Liga dos Campeões, o Ajax jogava esta quarta-feira em Istambul, frente ao Besiktas, com o objetivo de continuar a senda vitoriosa e perfeita na liga milionária – a equipa holandesa tinha quatro vitórias em quatro jogos -, não sendo, contudo, claro se Erik ten Hag ia promover alterações ou poupanças na sua equipa, dado a tal passagem para além da fase de grupos estar já no bolso. 

E sendo o poderio ofensivo da equipa de Amesterdão extremamente elogiado, não há que descurar a capacidade de o conjunto manter a sua baliza bastante segura. É que o Ajax tem 8 golos sofridos, sendo que 4 foram logo no primeiro jogo oficial e no primeiro troféu da temporada, no clássico com o PSV, que venceu o encontro por 4-0. Desde aí, o Ajax sofreu dois golos no campeonato e dois na Champions.

Para a frente é o que se tem visto: golos, capacidade de finalização e criatividade. São já 56 os remates certeiros em jogos oficiais, numa senda que, após a derrota frente ao PSV, inclui apenas uma derrota em 17 jogos, no início de outubro, frente ao Utrecht, por 0-1, logo na Johan Cruyff Arena. Apesar dos excelentes números a nível global, e limpinhos na Champions, o Ajax lidera a liga holandesa com os mesmos pontos que o PSV (30) e mais dois que o Feyenoord. Uma mais que clássica disputa pelo título dos Países Baixos.

O líder deste Ajax, no entanto, que tem em destaque jogadores como os experientes Tadic e Blind, o goleador Haller ou o jovem criativo Antony, tem sido associado a um lugar no Manchester United, de onde saiu Ole Gunnar Solskjaer. Na conferência de imprensa de antevisão, Erik ten Hag desvalorizou: “Estou na lista do United com Pochettino? Estou focado na minha equipa e espero que os meus jogadores também estejam focados no Ajax, pelo que tenho de dar o exemplo certo também por isso. Estou com a cabeça nesta equipa, temos um grande plantel e queremos alcançar muita coisa, queremos lutar por títulos. O resto só distrai”. “Continuam a perguntar-me [pelo Manchester United] e sim é uma questão estranha. Não ouvi nada sobre isso [interesse da equipa inglesa], então não posso pensar nisso”, disse ainda ten Hag.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Do lado do Besiktas a esperanças era a de conseguir alguma coisa dos dois últimos jogos, fosse uma eventual chegada à Liga Europa, estando sempre dependente dos resultados do Sporting, ou apenas conseguir boas exibições e, se possível, bons resultados. A situação do clube não é a melhor, pois vai em sete derrotas nos últimos dez jogos em todas as competições, nas quais se incluem os desaires por 1-4 e 0-4 precisamente frente aos leões. No campeonato, a revalidação do título está muito complicado, visto que a equipa treinada por Sergen Yalçin está em nono lugar a 13 pontos do líder Trabzonspor.

Com um jogo dividido mas com um Besiktas embalado pelos seus sempre entusiastas e entusiasmantes adeptos, o golo acabou por surgir pouco depois dos 20′, para a equipa turca. Num lance algo despropositado, Mazraoui cortou uma bola com a mão e chamado a marcar o penálti, Ghezzal mostrou como se aponta uma grande penalidade e fez o 1-0 para os turcos. 

O remanescente do primeiro tempo foi dividido e com ocasiões para ambos os lados, mas sem golos.

Mas se o Besiktas marcou aos 20′ da primeira parte, o Ajax respondeu com um golo antes dos dez minutos do segundo tempo. O inevitável Sébastien Haller, que saltou do banco, empatou o jogo, bisando no encontro e virando o jogo para o lado dos holandeses aos 69′. Com estes dois golos, o costa-marfinense torna-se o primeiro jogador a marcar nove golos nos primeiros cinco jogos da Liga dos Campeões.

Com esta vitória o Ajax, que esta quarta-feira não apresentou Antony e teve, por exemplo, Blind no banco, soma e segue na Champions, com um excelente futebol e um grande aproveitamento, tendo agora cinco vitórias em cinco jogos. Com o resultado deste encontro, antes de entrar em campo, o Sporting garante a continuação nas competições europeias.