Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Seria difícil o Sp. Braga reagir melhor à derrota sofrida no Estádio da Luz, frente ao Benfica, no início do mês. Nesse jogo, a contar para a I Liga, os bracarenses perderam por 6-1, provavelmente no pior resultado da época. De seguida, no entanto, surgiu a pausa para os compromissos das seleções e no regresso às competições domésticas o Sp. Braga devolveu a goleada sofrida frente às águias a outra ave. Foi o Santa Clara a vítima da equipa de Carlos Carvalhal, que sacudiu um 1-6 com um 6-0, ultrapassando os açorianos a caminho dos oitavos de final da Taça de Portugal. Esta quinta-feira, os minhotos tinham frente aos dinamarqueses do Midtjylland, fora, nova oportunidade de se afastar o mais possível de um mau resultado e, inclusivamente, ultrapassar com sucesso a fase de grupos da Liga Europa.

Com a derrota na Luz a ser o único desaire nos últimos 12 encontros, essa dúzia de jogos foi precedida de uma derrota no campo do Estrela Vermelha, também para o Grupo F da competição europeia. Mesmo com esse resultado negativo então, o Sp. Braga encarrilhou excelentes exibições europeias, com três vitórias no mesmo número de jogos, dois frente ao Ludogorets e um frente aos dinamarqueses que esta noite recebiam a equipa portuguesa na cidade de Herning. Um empate garantia um dos dois primeiros lugares do grupo e a vitória assegurava a passagem no primeiro lugar. Com as mudanças nos formatos das provas europeias de clubes devido ao surgimento da Conference League, os dois primeiros lugares davam sortes muito diferentes: a liderança do grupo levaria os bracarenses aos oitavos de final, com o segundo posto a cruzar com os terceiros classificados dos grupos da Liga dos Campeões.

Carlos Carvalhal chamava para esta quinta-feira 12 jogadores com menos de 23 anos dentro dos 24 convocados e o destaque tinha de ir para Vitinha, jovem avançado que assinou um póquer frente ao Santa Clara e que esta temporada leva já sete golos na equipa A em nove encontros, tirando o destaque do centro do ataque dos espanhóis Abel Ruiz (um golo) e Mario Gonzalez (três golos) ou, pelo menos, sendo mais goleador. Com Sp. Braga e Midtjylland a marcarem em todos os jogos nesta edição da Liga Europa, Carvalhal devia apostar no balanço de Vitinha para procurar continuar essa senda de remates certeiros.

Sem Matheus, Al-Musrati, Sequeira, Buta, Tormena e David Carmo, o treinador do Sp. Braga estava obrigado a algum jogo de cintura, pelo menos no centro da defesa, na posição 6 e no guarda-redes, mas mostrava-se confiante, até porque como disse antes do encontro frente ao Santa Clara, pretendia “controlar o presente e o futuro”. “Temos cumprido na íntegra tudo o que nos foi pedido. Aliás, temos acrescentado até mais ao que aquilo que nos foi pedido”, disse Carlos Carvalhal sobre o presidente António Salvador na mesma altura. Assim, o pedido de uma “boa Liga Europa” podia confirmar-se ainda esta quinta-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Já na antevisão ao encontro frente aos dinamarqueses, Carvalhal referiu que a sua equipa “tem que estar ao melhor nível para vencer, porque vai defrontar uma equipa que ataca muito bem e que marca golos em quase todos os jogos”. “Mas nós também conseguimos ferir o adversário e estamos focados em fazer golos. Temos um respeito muito grande pelo adversário, mas queremos conquistar os três pontos”, disse, abordando sem muita surpresa o assunto Vitinha: “É um bom menino, é de Cabeceiras de Basto, vem de um meio não tão citadino, mais rural, tem boa índole e boa personalidade, é um trabalho [lidar com o sucesso] que tem que ser feito, tem que levar nas orelhas de vez em quando para baixar a crista, mas faz parte do nosso trabalho colocá-lo na rota certa e, até ao momento, tem tido um comportamento muito bom e esperamos que se mantenha com humildade”.

Não foi no ataque que o Sp. Braga se destacou no arranque do jogo. Nem se destacou pela positiva. Após um lançamento de linha lateral diretamente para a área dos bracarenses, cuja defesa não consegue resolver com qualidade, a bola sobra para o capitão do Midtjylland, Erik Sviatchenko, que colocou a bola no fundo da baliza esta quinta-feira defendida por Tiago Sá. Estava feito o 1-0 aos 3′.. Sendo praticamente impossível começar pior a partida, a equipa de Carlos Carvalhal estava agora obrigada a mais trabalho se queria a qualificação para uma próxima fase, independentemente de qual fosse.

Com dificuldades em criar chances de golo, foi no final do primeiro tempo que o capitão Ricardo Horta encontrou o caminho do golo. Um excelente passe de Iuri Medeiros da direita rasgou pela defesa dinamarquesa e Horta, descaído para esse mesmo lado, rematou cruzado e com toda a força para o empate, festejando depois com os adeptos bracarenses presentes em Herning.

E se o Sp. Braga entrou mal na primeira parte, fez questão de o repetir no segundo tempo, ao sofrer um golo logo no arranque dos segundos 45′. Três minutos decorridos, um passe longo para a direita da área, Joel Andersson de cabeça coloca na boca da baliza, Tiago Sá hesita na saída e Isaksen faz o 2-1. O Sp. Braga voltava a ter de correr atrás do prejuízo.

E foi já à entrada dos últimos cinco minutos que Galeno com um grande golo empatou o jogo (2-2) O ala brasileiro apareceu pelo seu lado esquerdo, puxou para dentro e atirou forte e em efeito. A bola bate na barra e entra na baliza dos dinamarqueses. Com este empate, o Sp. Braga estava apurado.

Mas os bracarenses estiveram apurados apenas por meia dúzia de minutos. Mesmo em cima do apito final, Diogo Leite fez falta dentro da grande área sobre Victor Lind. Chamado a converter, Evander enganou com classe Tiago Sá e fez o 3-2 final.

Num jogo em que o Sp. Braga teve dificuldades em explanar o seu futebol de qualidade, acaba por ser castigado com uma grande penalidade tardia que custa o apuramento já esta quinta-feira e complica a situação. Agora, os bracarenses têm nove pontos, estão a um do Estrela Vermelha (venceu o Ludogorets por 1-0), mas está apenas um ponto à frente do adversário desta quinta-feira. Assim, a equipa portuguesa precisa de fazer, pelo menos, melhor do que o Midtjylland para se apurar. Com o último jogo a ser frente ao Estrela Vermelha, em Braga, uma vitória dos guerreiros do Minho coloca-os automaticamente nos oitavos de final da Liga Europa, evitando as equipas que caem da Champions.

A derrota desta tarde não interessava nada, mas Carlos Carvalhal e os seus pupilos dependem apenas de si e têm o futuro nas suas mãos. Tem a palavra o Sp. Braga.