379kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Desde janeiro que não havia tantos novos casos a um domingo. Mortes voltam a subir

Domingo é o terceiro dia consecutivo em que o número de vítimas mortais da Covid-19 aumenta e o pior em casos desde janeiro. Internados já são mais de 900. Crianças são o segundo grupo com mais casos.

Massive COVID-19 Testing At Walk-in Mobile Test Stations In Lisbon
i

Lisboa e Vale do Tejo e Norte são as regiões nacionais com mais novos casos

Corbis via Getty Images

Lisboa e Vale do Tejo e Norte são as regiões nacionais com mais novos casos

Corbis via Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal registou mais 3.786 casos de infeção pelo novo coronavírus e 23 óbitos por Covid-19 nas últimas 24 horas. Este é o terceiro dia consecutivo em que o número de vítimas mortais da Covid-19 aumenta: é preciso recuar até 9 de março (30 mortos) para encontrar um número de óbitos mais alto. É também o pior domingo em número de casos desde 31 de janeiro, dia em que se registaram 9.498 novas infeções.

O país ultrapassou os 900 casos de Covid-19 internados depois de dois dias com as hospitalizações em queda. Com mais 32 camas ocupadas, contabilizavam-se à meia-noite 911 pessoas hospitalizadas por complicações associadas à Covid-19. O aumento também se registou nas unidades de cuidados intensivos, que têm agora 134 camas ocupadas — mais quatro do que se havia contabilizado no sábado.

A faixa etária das crianças até aos nove anos é neste momento a segunda em número absoluto de novos casos: com 522 diagnósticos confirmados nas últimas 24 horas, só é ultrapassada pelo grupo dos 40-49 anos, que tem mais 719 infetados. De resto, só a faixa etária das pessoas entre os 20 e os 29 anos tem mais de 500 novos casos — são 506.

Embora seja a mais massacrada pelos óbitos por Covid-19, a faixa etária dos 80 anos ou mais é a que menos novos casos regista — e é, de resto a única com menos de 100 casos (86). Segue-se os grupos dos 70-79 anos (181 casos) e dos 60-69 anos (395).

Quanto às outras faixas etárias, a dos 30 aos 39 anos registou mais 491 casos, a dos 50-59 anos (em que se registou um dos óbitos) tem agora mais 457 infeções; e, por último, há mais 429 infetados entre os indivíduos na casa dos 10 aos 19 anos.

Lisboa e Vale do Tejo e Norte são as regiões nacionais com mais novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2 — o primeiro com 1.244 novos casos, o segundo com 1.068, perfazendo juntos 61% de todos os diagnósticos confirmados ao longo do último sábado. Com o Centro, a percentagem sobe quase aos 86%.

No restante território nacional, só os Açores têm um número de casos abaixo dos 100, com mais 40 infetados. A região Centro surge logo a seguir ao Norte com mais 941 casos e, juntando-se mas todas as outras estão muito abaixo em novos diagnósticos: o Algarve tem mais 265, o Alentejo mais 128 e a Madeira mais 100.

A esmagadora maioria das vítimas mortais registadas ao longo do último sábado tinham 80 anos ou mais. Foram 17 — dez mulheres e sete homens. A morte mais jovem voltou a registar-se na faixa etária dos 50 aos 59 anos e trata-se de um homem. Houve ainda mais dois óbitos entre os indivíduos com 60 aos 69 anos (ambos homens) e três no grupo dos 70 aos 79 anos — todos homens também.

A região mais afetada foi o Centro, que acumulou sete óbitos por Covid-19. O Norte e o Algarve estão equiparados com mais cinco mortes. Houve ainda três óbitos em Lisboa e Vale do Tejo, dois na Madeira e um no Alentejo. Os Açores voltaram a não registar qualquer morte por Covid-19.

Ultrapassaram-se este sábado os 60 mil casos ativos de infeção pelo SARS-CoV-2: são mais 2.530 que na última atualização das autoridades de saúde, elevando a métrica aos 61.363, o maior número desde 8 de março (61.363). Há mais 1.233 recuperados da Covid-19.

A página está a demorar muito tempo.