815kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Meghan, Kate e Letizia unidas pela saúde mental (e sem esquecer a importância do guarda-roupa)

Este artigo tem mais de 6 meses

Meghan à conversa em Nova Iorque, Kate em visitas e atividades e Letizia em modo "rapper", fizeram da saúde mental o tema da semana e voltaram a dar que falar pelas suas escolhas de moda.

GettyImages-1728281436
i

Meghan Markle usou um conjunto de Joseph Altuzarra para um evento sobre saúde mental promovido pela sua fundação

Getty Images for Project Healthy

Meghan Markle usou um conjunto de Joseph Altuzarra para um evento sobre saúde mental promovido pela sua fundação

Getty Images for Project Healthy

Uma rainha, uma princesa e uma duquesa juntaram-se para alertar o mundo para a importância da saúde mental. Juntas, mas separadas, ou seja, cada uma no seu país e com as respetivas iniciativas. Meghan Markle foi protagonista numa conferência da fundação dos Sussex, Kate Middleton dividiu-se em inúmeras visitas e a rainha Letizia aventurou-se pelo rap para chamar a atenção para o tema.

O Dia Mundial da Saúde Mental celebrou-se na passada terça-feira, a 10 de outubro, mas, durante toda a semana, tem havido notícias de membros da realeza que acarinham esta causa. Os duques de Sussex marcaram presença num evento da Archewell Foundation, na terça-feira, onde dividiram o palco com pais cujos filhos se suicidaram. Alguns destes progenitores já trabalharam na fundação ao longo do último ano e parte da conversa esteve focada nas redes sociais.

Os duques têm dois filhos, Archie com quatro anos e Lilibet com dois – e os pais já pensam no futuro, ainda que longínquo. “Sinto-me afortunada por os nossos filhos serem tão pequenos. Este problema não surge no nosso futuro imediato, mas também me sinto assustada com esta contínua mudança e por um dia ir estar em frente a nós”, disse Meghan, citada pelo Telegraph. O príncipe Harry disse que as redes sociais deveriam fazer mais para proteger as crianças, dizendo que as pessoas têm medo “do tamanho e do poder destas empresas”. “Não há nada de mal com estas crianças… É o mundo que estamos a permitir que seja criado à volta delas”, acrescentou o príncipe. O evento teve lugar em Nova Iorque e terá sido o regresso do casal à cidade desde a cerimónia em que Meghan recebeu um prémio numa noite que acabou com uma suposta perseguição automóvel.

Pelo Reino Unido, os príncipes de Gales estão a fazer uma série de visitas ao longo dos últimos dias para assinalar o Dia Mundial da Saúde Mental, um tema que sempre foi uma prioridade das suas iniciativas. Esta quinta-feira, o casal foi a Buckinghamshire para uma visita ao Centro Nacional de Desportos Bisham Abbey para promoverem a interação entre a saúde mental e o desporto e participar em workshops de fitness mental e estar com jovens atletas e pais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

GettyImages-1730113295 GettyImages-1716307677

WireImage

Na quarta-feira, a princesa de Gales foi a Nottingham para saber como duas universidades lidam com as questões da saúde mental. Na Nottingham Trent University conversou com alunos e até confessou que “adorava ser aluna outra vez”. “Lembro que a universidade para mim foi uma daquelas grandes oportunidades para experimentar novos passatempos e isso continuou até agora”, disse Kate, acrescentando que é uma das coisas que faz com os filhos também. O príncipe William, por seu lado, esteve com profissionais que prestam primeiros socorros.

Na terça-feira, os príncipes de Gales estiveram presentes em Birmingham num fórum sobre saúde mental juvenil. O casal esteve com cerca de 100 jovens e participou em workshops de saúde mental. Kate fez um discurso no qual alertou para  o facto de que “simplesmente falar sobre saúde mental não é suficiente”. A princesa disse que “tanto aprender sobre o mundo, como aprender sobre como ser feliz e ter sucesso nele deveriam andar de mãos dadas”, cita a Hello. Segundo o jornal Telegraph, os príncipes estão a preparar uma nova iniciativa relacionada com saúde mental para ser lançada no próximo ano, através da Royal Foundation.

A mais surpreendente de todas talvez tenha sido a rainha Letizia. A soberana espanhola participou num evento institucional no Dia Mundial da Saúde Mental e começou a sua intervenção por ler a letra de uma música rap do artista madrileno El Chojín, cuja letra traduzida será algo como: “Faço o que posso, chego ao que chego”. Tratou-se, afinal, de uma estratégia para chamar a atenção do público. “Não me ocorreria tentar ‘rapear’, por respeito, claro, aos artistas deste género musical. Mas se algum meio de comunicação fizer um título a dizer ‘a rainha faz rap pela saúde mental’, seria uma boa maneira de dirigir a atenção a um assunto tão importante e tão sério como este”, explicou a rainha, como se pode ver no vídeo do El País, em baixo. E de facto houve vários meios que fizeram títulos sobre o sucedido seguindo a sugestão da rainha. O dia de atividades ligado ao tema juntou ainda o músico El Chojín com a alpinista Edurne Pasaban para falarem sobre como ultrapassaram os seus problemas de saúde mental, conta o jornal espanhol.

As royals e a sua diplomacia no vestir

Não há vez em que as damas da realeza apareçam e a roupa escolhida não seja escrutinada. Os looks servem muitas vezes formas de passar mensagens e a rainha Letizia voltou a prová-lo. Para o seu ato oficial que assinalou o Dia Mundial da Saúde Mental, mostrou como este lhe é um tema querido, ao usar um dos vestidos com que mais vezes foi vista em público. O vestido verde e com estampado da marca francesa Sandro poderá mesmo ser um dos preferidos da soberana.

Meghan Markle decidiu vestir-se de branco total para o evento que a levou a Nova Iorque para falar de saúde mental. A duquesa usou um conjunto de calças largas e camisola com um original design que deixava os ombros descobertos e tinha botões à frente como um casaco, tudo do designer Joseph Altuzarra. Explica o Telegraph que, na verdade se trata do tom marfim, que será um branco mais quente. O branco total é um luxo ao qual nem todas as pessoas se podem dar, mas quando conseguido com sucesso garante elegância e sofisticação.

GettyImages-1728284193

Os duques de Sussex em Nova Iorque, num evento da Archewell Foundation

Quererá a pureza da cor refletir a importância do tema tratado? Talvez. Afinal a cunha de Meghan, Kate, a quilómetros de distância e algumas horas de diferença escolheu também vestir um conjunto num cremoso tom claro para um evento relacionado com a saúde mental. Para falar com alunos universitários em Nottingham, usou um conjunto em malha creme da marca Sezane, com uma carteira da marca Tusting que a revista Hello! classifica como um produto “acessível” do look de Kate, contudo a Mini Holly está à venda online por 465 euros.

Na véspera, no fórum em Birmingham, o que se destacou no look da princesa de Gales foi um par de brincos que lhe foi oferecido por Sarah Renton, a treinadora do clube Maidenhead Rugby Club, e que foram feitos em memória da filha que se suicidou aos 17 anos. Kate usou também um blazer num chamativo tom de amarelo mostarda, da marca LK Bennett, a cor da campanha #HelloYellow da associação de solidariedade Young Minds. Ao terceiro dia de visitas, Kate rendeu-se aos jeans para dar ao seu look um tom desportivo uma vez que estava a promover a atividade física. Combinou os seus skinny jeans escuros com blazer azul Klein e uma t-shirt branca.

Mental é uma secção do Observador dedicada exclusivamente a temas relacionados com a Saúde Mental. Resulta de uma parceria com a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e com o Hospital da Luz e tem a colaboração do Colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos e da Ordem dos Psicólogos Portugueses. É um conteúdo editorial completamente independente.

Uma parceria com:

Fundação Luso-Americana Para o Desenvolvimento Hospital da Luz

Com a colaboração de:

Ordem dos Médicos Ordem dos Psicólogos
 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos