Uma equipa de investigadores alemã detetou átomos de oxigénio livres na atmosfera de Vénus concentrados sobretudo a uma altitude de 100 quilómetros. Pedro Machado, um investigador português que também estuda a atmosfera de Vénus, diz que esta descoberta é de “enorme relevância”. Antes de “virar a página”, vamos ver o que isto significa.

Se podem existir dois gémeos tão próximos como distintos, esses são representados pela Terra e Vénus. Dois planetas rochosos, com uma composição muito semelhante e quase do mesmo tamanho. Mas as semelhanças terminam à superfície dos planetas: enquanto a atmosfera da Terra permitiu o desenvolvimento de vida, a atmosfera de Vénus é ácida, incrivelmente quente (pode atingir mais de 400 ºC) e com tem uma pressão enorme (mais de 90 vezes a da Terra).

A atmosfera densa de Vénus pode estar a desacelerar o planeta

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.