i

@ Manolo Yllera

@ Manolo Yllera

Não é Bali, é Portugal: um roteiro de spas que parecem de outro mundo /premium

Da piscina aquecida ao banho vichy, do quentinho da sauna (e das pedras quentes) aos óleos escorregadios, sugerimos 19 spas portugueses capazes de combater o stress mais crónico. Siga o roteiro.

Estarão os longos dias de praia a ser sobrevalorizados? Portugal pode ter muitos e bons quilómetros de costa atlântica, mas o aumento do turismo e a consequente profusão de hotéis de luxo foi proporcionando e visitantes e locais outras maneiras de ir a banhos. Do Porto a Lisboa, passando pelo Alentejo e pelo Algarve, desenhámos um roteiro de spas, perfeito para quem quer programar um escapadinha e fugir à tradição balnear. Dos rituais de beleza e técnicas de relaxamentos orientais ao simples conforto de uma piscina aquecida ou do formigueiro causado por um circuito de águas, uma coisa é certa, sempre que entra num spa, as preocupações ficam à porta.

São Lourenço do Barrocal

Reguengos de Monsaraz não é propriamente a geografia mais óbvia para quem procura um retiro desta natureza. Pelo menos, não seria, se o São Lourenço do Barrocal, um hotel rural que sabe bem como usar as tentações do campo para atrair as gentes da cidade, não estivesse bem munido. Numa herdade com 780 hectares, houve também espaço para projetar um spa. E ao contrário da maioria dos empreendimentos feitos nas grandes cidades, não há necessidade de evocar paisagens tão exóticas quanto longínquas. Afinal, estamos a falar do Alentejo profundo e de uma envolvência de vinha, olival e de pastos povoados por bovinos e equídeos (inspiração tailandesa para quê?). No currículo, já tem a distinção “Best Hotel Spa” atribuída pela Monocle.

É que até as opções de relaxamento e de purificação são compostas por ingredientes da terra, incluindo azeite biológico feito mesmo ali ao lado, ervas aromáticas cultivadas na horta, frutas da época colhidas no pomar e pedras provenientes dos barrocais circundantes, depois aquecidas para fazerem parte do tratamento dito apaziguador. Os dois tratamentos estrela deste hotel têm uma duração de três dias e envolvem ainda banhos imersivos, caminhadas e sessões de tai chi e chi kung. Os preços variam entre 245 e 530 euros. Depois das sugestões de topo, tudo o resto é mais acessível. Os rituais de um dia rondam os 250 euros (para não hóspedes), uma massagem clássica em todo o corpo fica por 90 euros.

BSpa do Altis Belém

Quando falamos em spas da capital, é difícil contornar este. Os atrativos começam logo na localização. Com uma piscina à beira-rio e uma segunda dentro de portas, o BSpa é uma referência neste roteiro. Podemos enumerar outras funcionalidades com as quais as visitas se podem entreter — sauna, hammam, banho turco, duches sensoriais e ainda um tanque de tonificação. Mas não fica por aqui. Este é o único spa com a assinatura da marca suíça Karin Herzog e aí os tratamentos e massagens vão dos 80 aos 160 euros. Mas o menu prossegue com muitos clássicos pelo meio, tal como num bar de hotel, até chegar ao O2 Chocolate, um tratamento de hidratação e renovação celular para o rosto, onde o chocolate é mesmo o ingrediente principal. Dura 70 minutos e custa 95 euros.

Tha Spa, no Corinthia Lisboa © Divulgação

The Oitavos Spa

A vista para o mar, a dois passos do Guincho, não é o único travo salgado. É possível nadar numa piscina de água salgada aquecida ou então ficar simplesmente imóvel a levar com aqueles jatos cheios de potência. Há dias para tudo. No exterior do The Oitavos Spa também se vai a banhos e a sauna, apesar de bem fechada, tem uma vista panorâmica para o exterior. O mesmo se pode dizer das salas de massagens, agradavelmente brindadas com luz natural — aí, 50 minutos de relaxamento fica em 95 euros. E como isto das marcas é outro acrescento de relevo para qualquer spa, este acaba de se estrear como o primeiro no país a ter os produtos da Carol Joy London, com tratamentos à base de folha de ouro de 24 quilates, colagénio puro e uma mistura de caviar e algas. Iluminar, impulsionar, hidratar e desintoxicar são as palavras que constam no menu. Neste caso, o preçário é ajustado ao nível dos ingredientes e vão dos 45 aos 220 euros.

Anantara Spa

Sabia que anantara, palavra em sânscrito, quer dizer sem fim? Não que esta informação seja muito útil para quem só quer deitar-se numa marquesa e ser massajado como se não houvesse amanhã — lá está, sem fim. No verão do ano passado, o hotel Tivoli, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, reabriu com este brinde. Um spa que recupera métodos de relaxamento orientais, capazes de, por breves momentos, deixarem qualquer sem norte e a confundir a própria localização geográfica. Da massagem tradicional tailandesa (95 euros, uma hora) às técnicas lomi-lomi, em que usar as mãos não chega, é preciso ir lá com os antebraços (pelo menos preço), passando pela massagem vichy, os jatos de água que tratam do assunto enquanto continua deitado (75 euros, meia hora), o rol de opções é extenso e não é exclusivo do hotel lisboeta. Este é o terceiro Anantara Spa do país, depois da abertura de dois outros espaços, no Tivoli Palácio de Seteais em Sintra e no Vilamoura Algarve Resort.

Flores Village Spa

Termas romanas, as ruínas de esquadria irrepreensível que vulgarmente vemos em visitas de estudo ou em passeios de interesse cultural. Só que neste ponto do Porto a experiência é outra. O Flores Village Hotel mantém esta estrutura intacta e em uso. Pode, por isso, banhar-se no mesmo tanque de pedra onde, há coisa de 2.000 anos, também os romanos o faziam. Também aqui, os produtos da vinha são usados para fins relaxantes, bem como as cerejas (ambos com um custo de 100 euros e 50 minutos de duração). Noutros tratamentos são usados produtos da marca Thalgo.

O banho turco do Felicitás Spa, no Palácio do Governador © Divulgação

Balsamea Spa

Também no Porto, a oferta não é menos tentadora e ainda tem uma vista sobre Gaia e o Douro como bónus. O Torel Avantgarde abriu portas em setembro de 2017 e o spa está ao nível dos interiores deste boutique hotel. Revestido com madeiras e um jardim vertical, a natureza foi mesmo a inspiração principal das salas de massagens e do banho turco. A especialidade da casa custa 120 euros (uma hora), mas há opções mais em conta, como é o caso das pedras quentes (90 euros) e da massagem de relaxamento (70 euros). Por 130 euros, a massagem pode ser feita a dois, ou melhor, a quatro.

Sayanna Wellness

Não há como bater o Myriad. O Sayanna Wellness é o spa mais alto de Lisboa (desconfiamos que até do país) e fica no 23º andar da estrutura que, outrora, foi conhecida como Torre Vasco da Gama. A vista dispensa grandes adjetivações, sobretudo com o lusco-fusco do final do dia e com as luzes de ambas as margens refletidas no Mar da Palha. O menu é extenso o suficiente para passar aqui um dia inteiro. Os tratamentos de assinatura variam entre os 130 e os 280 euros, com durações que vão dos 90 aos 180 minutos. Na lista de massagens, os preços começam nos 50 euros (uma massagem expresso de meia hora) e chega aos 140 euros, no caso de 90 minutos de massagem profunda. Existem programas pensados para fazer a dois e até uma experiência exclusiva para o mês de junho. Dura uma hora e custa 90 euros. Mas se perder a cabeça for uma opção, saiba que o plano de passar um dia neste spa é totalmente exequível. Neste caso, as sugestões vão dos 200 aos 325 euros.

Porto Palácio Spa

A água é mesmo o elemento central neste spa, no centro do Porto. Do mergulho anti-stress (140 euros por 100 minutos) ao duche vichy (50 euros por meia hora), é um oásis escondido num edifício colossal que se destaca na paisagem. Com bambus ou pedras quentes, as massagens vão dos 50 aos 110 euros. Por 250 euros, pode ter um programa diário composto por cinco experiências diferentes, no Porto Palácio Spa. A isso se chama um dia bem passado.

Porto Palácio © Divulgação

Spa Felicitás

Há lá programa melhor do que mergulhar num circuito de spa e ter um brunch logo ao lado para afogar a fadiga de todas as formas possíveis. Claramente, não somos os únicos a pensar assim. O NAU Palácio do Governador juntou as duas coisas, num programa disponível apenas aos domingos, com livre acesso ao circuito de spa, entre as 10h e as 12h, seguido de brunch, até às 16h, no restaurante do hotel. A experiência custa 35 euros por pessoa, exige marcação prévia e se, no mesmo dia, quiser aproveitar outros tratamentos, tem 15% de desconto. Fora o programa domingueiro, falamos de um dos segredos mais bem guardados de Lisboa. Tem uma piscina com duas cascatas, um duche a que chamam “tempestade das caraíbas”, sauna, banho turco e muita pinta.

Mandalay Spa

Em quatro anos de existência, o spa do Portobay Liberdade já ganhou três prémios — em 2016, “Best Luxury Emerging Spa”, e nos dois anos seguintes, “Best Luxury Hotel Spa”, todos eles atribuídos pelos World Luxury Spa Awards. Do sudeste asiático para o centro de Lisboa, eis as mezinhas e preceitos ancestrais usadas naquela zona do globo. O neem, espécie botânica muito apreciada na Índia, o coco, o sal dos Himalaias e o chá verde fazem parte de uma lista de ingredientes, no mínimo, exótica. Também as terapias ayurvédicas são transpostas para dentro do spa e há mesmo massagens e tratamentos que só podem ser realizados pelos terapeutas mais experientes. Além da piscina aquecida, da sauna e do banho turco, há um segredo bem guardado no terraço do hotel — um jacuzzi borbulhante que dá para relaxar, mas também pode dar azo a outras situações. Tudo luxos que se pagam, obviamente. A partir dos 40 euros, preço de um tratamento de meia hora à zona dos olhos, é sempre a subir. Os tratamentos de assinatura rondam os 140 euros, para cerca de duas horas, enquanto as massagens andam à volta dos 100 euros.

Float in

Há dez anos que é o melhor sítio para flutuar em Lisboa. Com três spas espalhados pela cidade — no Rato, Picoas e em Belém –, é fácil perceber porque é que o Float in é o grande especialista nesta arte. Em primeiro lugar, por causa dos chamados flutuários. Estas cápsulas cheias de água contêm 300 quilos de sal de Epsom, o seja, qualquer pessoa, por mais desajeitada que seja, consegue flutuar sem grande esforço. Depois, o segredo é eliminar as distrações e deixar que aquele ser humano apague. Dizem que uma sessão equivale a quatro ou seis horas de sono. Além do descanso, pode ajudar nas enxaquecas e as futuras mães. As cápsulas podem sempre ficar abertas, no caso dos mais claustrofóbicos, e não estão disponíveis no spa de Belém. Uma sessão de 50 minutos custa 50 euros. Uma hora e meia sai a 70 euros. Pode sempre optar por massagens de relaxamento, terapêuticas ou orientais. Aí, os valores estão entre 60 e 120 euros.

Float in © Divulgação

CitySpa

Não vem com hotel atrás, mas nem por isso é menos luxuoso. Localizado no Restelo, o CitySpa tem somado prémios nos últimos anos. Daí que não haja lugar para falsa modéstia. Entre os rituais de assinatura está a “Melhor Massagem de Relaxamento do Mundo”, uma hora e meia de técnicas combinadas, com um preço de 120 euros. No que toca aos cuidados de rosto, este spa também não faz por menos e usa produtos da suíça Karin Herzog e da londrina Linda Meredith. Aí as opções começam nos 50 euros e podem chegar aos 120 euros. China, Índia, Japão e Tailândia — o continente asiático está representado em peso. Os preços começam nos 35 euros.

Oryza Spa

A Quinta da Comporta abriu em março e já foi distinguida com um prémio da Condé Nast Traveller. É preciso ver para crer e esta paisagem é do tipo que vale mesmo a pena. Afinal, o litoral alentejano começa aqui e, do alojamento propriamente dito ao spa, este hotel conseguiu fundir-se totalmente neste habitat, proeza do arquiteto Miguel Câncio Martins. Além do edifício principal, refeito à imagem e semelhança dos antigos armazéns de arroz, existem dois antigos celeiros em madeira trazidos do Canadá e montados novamente à chegada. Num deles, fica o Oryza Spa (na imagem de abertura deste artigo). Algo que se percebe rapidamente é que tudo gira à volta do ingrediente da terra, o arroz. Antes de qualquer massagem, as visitas são convidadas e enfiar as mãos numa taça e a sentir cada grão. A partir de um breve questionário, são selecionados os óleos essenciais e até a música que acompanhará o ritual. A vista, escusado será dizer, é para um campo de arroz. Além da piscina do spa, a Quinta da Comporta tem uma outra, simultaneamente interior e exterior. As massagens ao corpo todo variam entre os 105 e os 150 euros. Os rituais completos podem ir até aos 200 euros (duas horas).

The Spa

Sabia que 2018 foi o ano do spa do hotel Corinthia? Tome nota: “Portugal’s Best Wellness Retreat”, “Portugal’s Best Luxury Urban Escape Spa” e “Europe’s Best Luxury Fitness Spa”. O The Spa pode estar a somar distinções, mas é nos 3.500 m2 que se experienciam as verdadeiras razões para tantos prémios. Ao todo, existem 13 salas de tratamento, duche vichy, piscina interior aquecida, solário natural, banho turco, fonte de gelo, piscina hidrodinâmica e pedilúvio. Entre os rituais de assinatura, uma epopeia portuguesa. Inspirada no Caminho Marítimo para a Índia, a experiência de 80 minutos inclui ingredientes como sal marinho, cravinho e canela. Fica por 145 euros, mas não é tudo. Recentemente, o spa adicionou uma nova especialidade à carta, em parceria com a centenária Claus Porto. Recuperando a tradição otomana do hammam, o tratamento envolve pedras quentes e, claro, sabonetes portugueses. Dura 50 minutos e custa 170 euros.

The Oitavos © Divulgação

Ritz Four Seasons

Pensamos em luxo e o Ritz é aquela imagem aspiracional que vem de imediato à ideia. Não é por acaso. Das suites à piscina banhada a luz natural, este hotel é uma caixa de segredos bem guardados e nem todos são reservados aos hóspedes, spa incluído. No início do ano, o hotel criou um novo ritual de assinatura inspirado em Lisboa. Durante 80 minutos, o relaxamento é garantido por ingredientes nacionais como o azeite proveniente de Montemor, no Alentejo, óleo de manjericão, a fazer lembrar as festas de Santo António, sal marinho de Castro Marim e lima orgânica. Custa 210 euros, mas não é a única opção do menu. As massagens variam entre 165 e 210 euros. Na lista de tratamentos, os aromas diversificam-se — baunilha, chá verde e algas. Os preços podem chegar perto dos 250 euros.

Serenity Spa

Debruçado sobre a Praia da Falésia, em Albufeira, o spa do Pine Cliffs é um verdadeiro oásis, a começar pela diversidade de espaços. Existem salas temáticas, consoante as culturas de onde os tratamentos são originais, uma sauna herbal, uma segunda com sal dos Himalaias, banho turco e ainda uma piscina Kneipp, dividida entre uma zona de água quente e outra de água fria. A isto, o Serenity Spa chama oásis termal. “Sentir o Algarve” é o ritual de assinatura e, como o próprio nome indica, utiliza os produtos da região — a flor de sal da Ria Formosa, ótimo esfoliante, à alfarroba, fruto utilizado em envolvimentos, passando pelo óleo essencial de laranja algarvia e pelo chá de erva-príncipe que induz o relaxamento. O mesmo hotel acaba também de renovar o seu restaurante e bar de praia. O Maré conta agora com o atendimento personalizado de um beach butler (mordomo de praia), serviço que pode variar entre os 75 e os 200 euros por dia.

The Vintage Spa

Aberto de fresco, a dois passos da Avenida da Liberdade, o The Vintage Hotel é a opção perfeita para quem não faz questão de mergulhar em piscinas infinitas. Pelo contrário, este spa, localizado debaixo da terra, tem aquele aconchego característico da pequena escala, ainda que mantenha os serviços mínimos e indispensáveis a um templo de relaxamento — uma piscina de relaxamento, um ritual de vichy shower (75 euros) e salas de massagens. Nessas, os preços vão dos 50 aos 105 euros. Os tratamentos de assinatura variam entre os 85 e os 150 euros.

Torel Avantgarde © Luis Ferraz

Luis Ferraz / Torel Avantgarde Hotel

Spirito Spa

São 1.500 m2 de água, banhos e superfícies aquecidas. No fundo, todo um território relaxante, de uma ponta à outra. No hotel Sheraton, no centro de Lisboa, as opções multiplicam-se pelos ingredientes e técnicas das tradições mediterrânicas. E não há melhor exemplo que o ritual de assinatura da casa, o Spirito Unwind, uma experiência de 80 minutos com uma esfoliação de sal marinho, óleo se amêndoas doces e um duche vichy com um toque de lavanda. A massagem que se segue convoca mais uns tantos ingredientes — óleos de laranja doce e rosa, gerânio e palmarosa. Por 155 euros, pode experimentar todos os aromas na própria pele. Os restantes tratamentos começam nos 35 euros e chegam aos 170.

Caudalie Vinothérapie Spa

Já sabemos que, no The Yeatman, tudo gira em torno do vinho. O spa não é exceção, sobretudo desde que se associou à marca francesa Caudalie e começou a tirar partido das propriedades antioxidante do vinho e da uva para tratamentos à pele — o que inclui banhos de imersão em barris. Para o mês de junho, o Caudalie Vinothérapie Spa tem algumas especialidades sazonais, uma delas chama-se Ritual do Sommelier e dura mais de duas horas. O preço é 250 euros.

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.