1. O que é um freelancer?

  2. É um profissional que faz o seu trabalho de forma independente e que presta serviços a vários empregadores com os quais não tem um vínculo permanente. Freelancer é um anglicismo — uma palavra que foi adaptada da língua inglesa — e etimologicamente quer dizer “lança livre”. É esse mesmo o objetivo de quem opta por trabalhar por conta própria: ser mais independente. Livre de horários fixos e de ligações exclusivas, por um lado, mas, por outro, esta é também uma opção que requer muita disciplina e organização.

  3. Quais as vantagens?

  4. Sem dúvida que a principal vantagem de um freelancer é poder gerir a sua agenda e escolher os trabalhos que faz. Um freelancer pode trabalhar onde quiser, quer seja em casa ou num espaço partilhado, numa grande cidade ou no meio do campo. Se optar por trabalhar em casa, pode até ver as suas despesas diárias reduzidas, uma vez que não realiza as habituais deslocações para o posto de trabalho.

  5. E as desvantagens?

  6. Ser freelancer também acarreta alguns pontos menos favoráveis. O principal será talvez o facto de não ter um ordenado certo todos os meses. Há alturas em que terá muito trabalho, outras em que não terá nenhum, e saber equilibrar-se será um grande desafio. Outro ponto menos positivo é trabalhar sozinho. Há quem goste dessa ‘solidão’, mas trabalhar sem alguém para discutir algumas questões ou mesmo tomar um café por vezes faz falta. Outro lado menos positivo de trabalhar por conta própria é ter de fazer tudo: desde o trabalho em si, à organização das finanças até à promoção das suas atividades.

  7. Como se deve organizar um freelancer?

  8. Um freelancer tem de ter disciplina, e isso não é uma tarefa fácil. Ao trabalhar em casa, as distrações são mais que muitas: ir ao frigorífico, começar a ler um livro ou até limpar as gavetas… tudo serve de motivo para procrastinar. Primeiro que tudo, há que estabelecer um local fixo, mesmo que seja em casa, para trabalhar e ter por perto os utensílios essenciais para o fazer. Não vale trabalhar no sofá. Depois, organizar o dia, de preferência estabelecendo horários de modo a que não fique a “arrastar” trabalhos mais do que deve.

  9. Onde encontrar os primeiros clientes?

  10. É preciso estar-se preparado e organizado: ter um portfolio, redes sociais atualizadas, uma tabela de preços e forma de passar um recibo ou fatura a um eventual cliente. Depois, procurar localmente, entre a rede de amigos e conhecidos, alguém que necessite dos nossos serviços. Daí passar ao contacto com as empresas, marcando reuniões e apresentando o portfolio. Existem ainda várias plataformas que se dedicam ao trabalho remoto que funcionam como um banco de oferta e procura. O networking é fundamental, quer participando em conferências com profissionais da mesma área, trabalhar em espaços de coworking ou ainda participar em comunidades digitais exclusivas. Uma presença digital de qualidade é essencial para um freelancer: expor os seus serviços, comunicar a sua marca e até opinar sobre determinado assunto pode gerar contactos e trabalho.

  11. Como pode saber o seu valor à hora?

  12. Uma das principais dificuldades de quem trabalha por conta própria é saber quanto vai cobrar por determinado projeto. Quanto vale uma hora de trabalho? O que se deve contemplar num orçamento? Deve cobrar-se ao projeto ou à hora? Deve pedir-se adjudicação? São muitas as questões a colocar para conseguir estabelecer o preço que se considera justo. Pode começar-se por ordenar todos os gastos inerentes ao trabalho, como eletricidade, computador, renda, deslocações… e não esquecer o contabilista, os impostos e os descontos. Uma vez que se é trabalhador independente, tem de se ter em conta que se terá de fazer a entrega trimestral de 23% do IVA pelos serviços cobrados. É ainda necessário fazer a devida contribuição para a Segurança Social, calculada tendo em conta o volume de ganhos. São duas despesas muito importantes e que podem fazer a diferença quando se pretende acautelar o valor do trabalho. Para ajudar nesta “matemática”, existe a calculadora de valor/hora online. Uma preciosa ajuda para quem se início como freelancer ou empreendedor.

  13. Que ferramentas existem para o ajudar?

  14. Para facilitar essa tarefa, pode fazer o próprio cronograma, uma lista de prós e contras ou utilizar uma calculadora online. Esta ferramenta inovadora pretende ajudar todos os profissionais a descobrirem o seu valor/hora e quanto devem cobrar a um cliente pelos seus serviços. O InvoiceXpress é um programa de faturação online certificado pela Autoridade Tributária que desenvolveu uma calculadora de Valor/Hora que pode ser utilizada de forma muito fácil. Esta ferramenta gratuita é essencial para quem está a criar o seu próprio negócio e ainda não sabe quanto precisa de faturar para poder ter rendimentos e cobrir os seus custos. De forma rápida, esta calculadora considera todas aquelas despesas relacionadas com a própria atividade e que normalmente temos tendência para esquecer, como os custos de software, internet ou telefone, e apresenta um valor/hora que pode servir para balizar os seus orçamentos.