A 13 de maio, surgiu uma publicação no Facebook sobre o famoso físico Albert Einstein com a seguinte citação atribuída ao próprio: “Deus não criou o mal. O mal é o resultado da ausência de Deus nos corações dos seres humanos”. Esta publicação obteve 1,2 milhões de visualizações e 40,2 mil partilhas. É, no entanto, falsa.

Publicação de 13 de maio volta a atribuir erradamente a frase a Einstein

Primeiro, é preciso dizer que que a citação não vem nem com a data nem com o local onde terá sido supostamente proferida. Depois, a disseminação de notícias falsas através da atribuição de citações a celebridades famosas tem sido recorrente nas redes sociais. A frase atribuída a Einstein é facilmente identificável através do motor de busca da Google, quer por parte de sites que a partilham como sendo verdadeira, quer por outros sites, incluindo de fact-checks, em que a declararam como falsa.

Segundo o PolitiFact, do The Poynter Institute, esta fotografia já tinha sido espalhada em anos anteriores (2012, 2015, 2016 e 2017). Surgiu, inclusivamente, em livros, como descrito pelo site de fact checks norte-americano. No entanto, não foi possível descobrir uma fonte credível que confirmasse a veracidade da publicação inicial.

A viralidade desta suposta citação cresceu tanto que também chegou a outros países, como ao Brasil em 2012, referindo uma história que já circulava na internet desde 2004. Mas, em vez de falar da origem do mal, falava na existência de Deus: Einstein teria supostamente provado a um dos seus professores, que se declarava como ateu, que Deus existia. Outro site de fact checks, o E-Farsas, conseguiu descobrir uma variação dessa mesma história, datada de 1999, no Google Groups, onde o físico alemão nem sequer é referido. Só em versões posteriores é que o seu nome foi adicionado.

O E-Farsas afirma ainda que o cientista nunca se afirmou como sendo alguém religioso, considerando-se como agnóstico. O New York Times, bem como outros órgãos de comunicação social, chegaram a noticiar uma carta que tinha sido escrita por Einstein sobre Deus e vendida por mais de 400 mil dólares em 2008. Nessa carta endereçada para o filósofo Eric Gutkind em 1954, o físico alemão, entre várias considerações, descreveu a Bíblia como “infantil”.

Conclusão

A citação que começou a circular no Facebook sobre Deus é falsa: não é possível encontrar uma fonte credível que comprove a veracidade, a data e o local desta citação. Só é mesmo atribuída em diversas publicações tanto online, como em livros.Tanto o site de fact check Politifact, dos Estados Unidos da América, bem como o E-Farsas, desmentiram falsas citações atribuídas ao físico alemão. É também do conhecimento público que Einstein se declarou, através de uma carta escrita pelo próprio nos anos 50 — entretanto leiloada — como agnóstico.

De acordo com o sistema de classificação do Observador este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota : este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge