Já se vai tornando uma tradição da desinformação em Portugal: quando chega o período natalício vários utilizadores e páginas publicam uma fotografia de uma mãe sem-abrigo e a sua filha que estão alegadamente numa rua em Portugal. Neste mês de dezembro, a fotografia voltou a aparecer com algumas ‘nuances’: uns sugeriam que o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa devia ir dar afetos às duas sem-abrigo, outros lembravam a diferença de tratamento entre “esta portuguesa e a sua filha” e os marroquinos que desembarcaram em Monte Gordo. A relação da fotografia com Portugal é absolutamente falsa. Apesar disso, teve milhares de partilhas nas últimas semanas.

A fotografia alegadamente tirada em Portugal, que afinal foi tirada em França

Já na quadra natalícia de 2018 a fotografia tinha sido partilhada mais de 40 mil vezes com a indicação de que as sem-abrigo eram portuguesas e que a fotografia tinha sido tirada em Lisboa. Logo na altura jornais portugueses, como o Diário de Notícias, denunciaram que a fotografia não tinha sido tirada em Portugal. Era evidente, desde logo, que a imagem era de uma zona pedonal, num centro histórico, e que perto do local, na esquina, havia um restaurante da KFC. Isso excluía imediatamente Lisboa, que não tem nenhum KFC no centro histórico e, mesmo os restaurantes dessa cadeia instalados em Lisboa, não são em zonas pedonais.

Localização dos KFC em Lisboa. Imagem: Google Maps

Em novembro de 2017, precisamente um ano antes de alguns jornais portugueses denunciarem esta falsidade, a rádio francesa Sud Radio revelava o local onde tinha sido tirada a fotografia: na rua Saint-Catherine, em Bordéus, França. Com uma ida ao Google Street View é possível constatar que a localização do KFC no centro histórico da cidade corresponde à rua onde foi tirada a fotografia a uma mãe e a uma filha sem-abrigo em 2017.

Imagem partilhada a 15 de dezembro

Desde que foi tirada, a fotografia foi utilizada ao serviço da desinformação em vários países. Na Irlanda, a imagem foi usada publicamente em 2017 como exemplo da situação dos sem-abrigo em Dublin. O mesmo aconteceu no Reino Unido, com a fotografia a ser partilhada na página Spotted In Yorkshire, como se fosse uma situação captada naquela região do norte de Inglaterra. Na Sicília, exatamente a mesma história, com um apelo do site You Reporter para que aquelas mulheres que estavam em ruas italianas fossem ajudadas. Tudo falso.

Apesar de ter sido noticiado em Portugal (no Diário de Notícas, no Correio da Manhã e na revista Sábado) em 2018, isso não impediu que a fotografia voltasse a ser viral em 2019 e que tivesse sido partilhada milhares de vezes por diversos utilizadores nas últimas semanas.

A 11 de dezembro, por exemplo, uma utilizadora partilhou a fotografia para sugerir que este era um caso em Portugal, ao qual o Presidente da República ainda não tinha dado atenção. “Avisem o professor Marcelo que esta pessoa dorme na rua com este frio… pode ser que ele vá distribuir beijinhos”, podia ler-se.

O post que refere o Presidente da República

Quatro dias depois, no grupo Notícias do Algarve, outro utilizador questionava: “Senhores governantes qual a diferença entre esta portuguesa e a sua filha pequenina a dormir na rua e os marroquinos que desembarcaram em Monte Gordo numa pequena embarcação?”. Neste caso, a publicação ia mais longe, pois relacionava a desigualdade de tratamento (e de apoio do Estado) entre uma mãe e filha que dormia na rua e oito marroquinos que Portugal decidiu acolher este mês depois de terem chegado ao Algarve numa embarcação.

A publicação que faz a comparação com os oito marroquinos

Conclusão

Uma imagem real de uma mãe sem-abrigo a dormir na rua com a sua filha melhor voltou a ser partilhada de forma errada nas redes sociais em Portugal. A fotografia foi tirada em França no inverno de 2017. No entanto, voltou a ser partilhada como se tivesse sido captada em Portugal. O mesmo já tinha acontecido no inverno de 2018 e noutros países como a Irlanda, o Reino Unido ou Itália. É assim absolutamente falso que esta fotografia seja atual ou tenha sido tirada em Portugal.

Segundo a classificação do Observador este conteúdo é:

Errado

Segundo o sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge