Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Neste Dia Internacional da Mulher gostaria de vos convidar a uma reflexão: devem as políticas de asilo em Portugal contemplar programas e respostas dirigidos às necessidades específicas das mulheres requerentes de asilo e refugiadas?

Segundo o Relatório das Nações Unidas sobre Migração Internacional, 52% da população migrante que veio para a Europa em 2017 eram mulheres. Juntamente com as crianças, as mulheres e as meninas são o segundo grupo mais exposto a todos os tipos de abuso, como sendo o tráfico, o casamento forçado e a exploração sexual.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.