814kWh poupados
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

António Alvim

Convidado

Artigos publicados

Eleições Europeias

A leitura dos resultados das europeias e o futuro.

A abstenção foi a grande vitoriosa da noite. Por isso é na sua análise que está a chave para se perceber os resultados destas Europeias e se perspetivar o futuro.
Governo

As linhas vermelhas. Como as ultrapassar?

Os portugueses que nestas eleições disseram não ao socialismo e aos socialistas estão a ver defraudadas as suas expectativas de reformas e em risco de mais 8 anos de governos socialistas.
Novo Governo

A falácia dos governos minoritários serem comuns

Ao contrário do que se ouve e lê muitas vezes, Portugal é o único País da Europa que na atualidade tem um Governo minoritário.
Marcelo Rebelo de Sousa

Será Marcelo o adulto na sala?

Poderá Marcelo ser o adulto da Sala e desta forma libertar, e se ultrapassar, o compromisso das linhas vermelhas assumido por Luís Montenegro?
Governo

A questão democrática. Porque discordo do PR

O Presidente da República deve nomear, e só deve nomear, quem se lhe apresentar com o apoio de mais de 50% dos deputados da AR.
Serviço Nacional de Saúde

É possível dar um médico de família a cada cidadão

Há médicos que não querem ser funcionários públicos e aposentados que querem continuar a exercer, e há pessoas que preferem médico fora do SNS. Se isto for considerado, não faltarão Médicos de Família
Serviço Nacional de Saúde

Pela sua Saúde, pelo SNS, não vote PS

O país inteiro, bombardeado diariamente com as notícias sobre os tempos de espera nas urgências e as unidades fechadas, espantou-se quando Pedro Nuno Santos perguntou: “Mas o que não funciona?”
Eleições

O que pode fazer Marcelo? Cenários pós eleições

O melhor voto para eleitores indecisos entre PS e PSD e que não querem uma aliança com o Chega é no PSD para que André Ventura não seja necessário. Votar no PS pode levar ao cenário que inclui o Chega
Serviço Nacional de Saúde

A complementaridade na Saúde

Se a complementaridade que reconhece a liberdade de opção fosse aplicada, em Lisboa não haveria 100 000 utentes sem Médico de Família nem seria preciso a CML preocupar-se com o tema.
PSD

PSD: Revisão Estatutária oportunidade a não perder

Sábado em Lisboa os militantes irão com o seu voto dizer se querem mudar a vida do PSD, abrir os núcleos e acabar com “as carrinhas”, ou se preferem a complacência, o branqueamento e o definhar do PSD
Serviço Nacional de Saúde

ULS: A nova falsa reforma do SNS

A ideia de que as Unidades Locais de Saúde são a solução ignora que apenas correspondem a baralhar e dar de novo, mas com as mesmas cartas e correndo o sério risco de estragar ainda mais o que existe.
Serviço Nacional de Saúde

Os verdadeiros problemas estruturais do SNS

Com gestão privada existe um acionista que tem o seu dinheiro investido e se preocupa com o que lá se passa; na gestão pública esse alguém não existe e os serviços funcionam por inércia, por amiguismo
Centros de Saúde

Porque duas deputadas do PS mentiram no Parlamento

Sem nada apresentar e sem qualquer solução perante um descalabro total que é o aumento de utentes sem médico de família, mentir aos portugueses é o que resta ao Governo e aos deputados do PS.
Médicos De Família

Sr. Ministro da Saúde, que respondo a esta utente?

A sua antecessora demitiu-se por causa da morte de uma grávida. A gravidade da falta de Médicos de Família não é tão mediática mas é muito mais extensa. O aumento da mortalidade não terá ver com ela?
PSD

O povo é quem mais ordena

Aquilo que forem os resultados das próximas legislativas é que determinará se serão precisas coligações ou acordos e quais. Serão os portugueses, pelo voto, que decidirão que Governo querem.
Saúde

Os “privados” no SNS e o "lucro" na Saúde

A contestação do lucro na Saúde é uma das principais armas de arremesso contra a presença da iniciativa privada no SNS por hipócritas da esquerda. Mas terá esta aversão ao lucro na Saúde razão de ser?
Ministério da Saúde

Mais de 1,5M de utentes sem Médico de Família

Senhor Ministro da Saúde, peço-lhe que releia os dois primeiros parágrafos. Que releia o artigo 64 da Constituição, a Lei de Bases da Saúde, o Estatuto do SNS e atue, já. Do que está à espera?
Serviço Nacional de Saúde

Ministro da Saúde duplamente assassinado pelo PS

A bancada do PS, onde se senta Marta Temido, desautorizou o ministro e retirou-lhe o único instrumento de que dispunha para menorizar a falta de Médicos de Família. E ainda lhe diminuiu o Orçamento...
Serviço Nacional de Saúde

A sustentabilidade e financiamento do SNS

Aquilo que já hoje acontece com as análises e exames radiológicos, por exemplo, realizados por prestadores privados, convencionados com o SNS e de acesso gratuito é exemplo do que se defende.
Serviço Nacional de Saúde

CEO do SNS? Olhem para o Presidente do ACSS

Assim nada de estrutural vai mudar. O Prof. Fernando Araújo vai ser o para-raios político do Ministério da Saúde, para onde serão endossadas todas as queixas/culpas do mau funcionamento dos serviços.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos